Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lula é criticado por bolsonaristas e evangélicos após dizer que todos deveriam ter direito ao aborto

    Para ex-presidente, tema deveria ser tratado como ‘questão de saúde pública’ e legislação não deveria obrigar mulheres a terem filhos se não quiserem

    Da CNN

    Ouvir notícia

    Apoiadores do presidente Jair Bolsonaro (PL) e integrantes da bancada evangélica no Congresso criticaram o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) por uma fala dele sobre o aborto no Brasil.

    Lula disse que mulheres pobres morrem no país “tentando fazer aborto porque é proibido, o aborto é ilegal”.

    “Na verdade, [o aborto] deveria ser transformado em uma questão de saúde pública e todo mundo ter direito e não vergonha”, afirmou o ex-presidente em evento na Fundação Perseu, nesta terça-feira (5).

    Segundo o petista, mulheres pobres fazem o aborto de forma insegura, de forma arriscada para a saúde da mulher, “enquanto que a madame pode fazer um aborto em Paris, pode ir pra Berlim procurar uma Abort Clinic e fazer um aborto”, disse.

    Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), cerca de 73 milhões de abortos induzidos são feitos todos os anos no mundo, e apenas 45% são realizados de forma correta. Procedimentos inseguros durante o procedimento são considerados a principal causa de morte e sequelas entre as mulheres, de acordo com a entidade.

    Lula defendeu que a legislação brasileira não pode exigir que uma mulher tenha um filho se não quiser. “A lei não exige cuidar. Então nós ainda precisamos avançar muito, e essa pauta da família, dos valores, é uma coisa muito atrasada”, afirmou.

    As críticas

    Apoiadores de Bolsonaro reagiram nas redes sociais às falas do ex-presidente. O deputado federal Marco Feliciano (PL-SP) escreveu que o petista apoia o aborto e se mostrou “o Lula de quem sempre falei”.

    Também deputado federal por São Paulo, o filho do presidente Eduardo Bolsonaro (PL) publicou um vídeo do ex-presidente falando sobre o tema com a crítica: “Lula não está pensando em eleição num país cristão que respeita a propriedade privada”.

    A ex-ministra da Mulher, Família e Direitos Humanos Damares Alves (Republicanos-DF) afirmou que “a pauta do ex-presidente sempre foi a cultura da morte”.

    Lula também recebeu críticas do deputado federal Guiga Peixoto (PSC-SP), que escreveu: “Lula é a favor do aborto e contra o armamento. Enfim, é a favor do homicídio, menos com armas”.

    Publicado por Estêvão Bertoni

    Mais Recentes da CNN