Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Lula quer encontro “cara a cara” antes de anúncio de reforma ministerial, dizem fontes

    Segundo relatos feitos à CNN Brasil, o petista ainda não definiu pastas para PP e Republicanos, tem sinalizado que tomará uma decisão até o final do mês e reconhece que PT e PSB terão de ceder

    Gustavo Uribeda CNN

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva disse a um grupo de aliados que só anunciará mudanças na Esplanada dos Ministérios após um encontro “cara a cara” com as cúpulas nacionais do Republicanos e do PP.

    Segundo relatos feitos à CNN Brasil, a intenção do petista é marcar um encontro com os dois partidos na segunda quinzena deste mês.

    Lula tem repetido, de acordo com interlocutores do presidente, que ainda não definiu os cargos que serão assumidos pelos dois partidos.

    E que a definição só ocorrerá após essa conversa. O petista também tem reconhecido que PT e PSB terão, provavelmente, de ceder.

    Na sexta-feira (4), na tentativa de acalmar os ânimos, Lula autorizou o ministro de Relações Institucionais, Alexandre Padilha, a anunciar que os deputados federais Silvio Costa Filho (Republicanos-PE) e André Fufuca (PP-MA) serão ministros.

    O aceno teve como objetivo tentar garantir a votação, ainda nesta semana, do novo marco fiscal, que ainda precisa de uma segunda aprovação na Câmara dos Deputados.

    Nesta terça-feira (8), o relator da proposta, Cláudio Cajado (PP-BA), deve se reunir com o colégio de líderes da Câmara dos Deputados na tentativa de chegar a um consenso.

    O cenário mais provável hoje para a reforma tributária é que o Republicanos fique com Esporte e o PP com Portos e Aeroportos.

    Lula, no entanto, pretende acomodar o ministro Márcio França, do PSB, em uma pasta hoje comandada por um ministro petista.