Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Lula visita MST e mira voto de indecisos; Bolsonaro destaca baixa da gasolina

    Na Bahia, Ciro fala sobre polarização nas eleições; Tebet defende em Pernambuco que recursos para a ciência fiquem fora de teto de gastos

    Lula (PT) e Bolsonaro (PL) em eventos de campanha
    Lula (PT) e Bolsonaro (PL) em eventos de campanha Divulgação

    Carolina Cerqueirada CNN

    Os candidatos à Presidência Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) cumpriram agenda de campanha no estado de São Paulo na manhã desta quarta-feira. Ciro Gomes (PDT) e Simone Tebet (MDB) estiveram no Nordeste, em Salvador (BA) e no Recife (PE), respectivamente.

    Lula participou de encontro sobre cooperativismo e economia solidária no Armazém do Campo, do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), na capital paulista. No evento, ele pediu que seus apoiadores conversem com os indecisos para convencê-los a votar no PT.

    “Tem pessoas que falam ‘eu não vou votar, eu não ligo para voto, não tem importância’. O cara que não vota significa que depois ele não tem o direito de reclamar”, disse.

    O petista ainda voltou a defender a criação de ministérios. “Todo mundo sabe que nós vamos ter o Ministério do Desenvolvimento Agrário, vamos ter Ministério da Pequena e Média Empresa”, afirmou. Ele lembrou ainda a promessa de criar o Ministério da Segurança.

    Bolsonaro participou de uma motociata e de um comício em Presidente Prudente, no interior de São Paulo. O presidente voltou a destacar a queda no preço da gasolina no Brasil e defendeu parcerias privadas para construção de refinarias para diminuir a dependência de importação.

    “Somos obrigados a importar diesel e parte da gasolina. Estamos em negociação final com a Rússia e outros países do Golfo para importarmos petróleo. Estamos junto à iniciativa privada para ver se alguém faz refinarias no Brasil”, disse.

    Bolsonaro voltou a dizer que, depois das eleições de outubro, irá “trazer a minoria que pensa que pode tudo para dentro das quatro linhas da Constituição”. Nas comemorações de 7 de setembro, ele fez fala semelhante.

    “[Sou] um presidente que, cada vez mais, fala na legítima defesa, que não quer desarmar o seu povo, muito pelo contrário. Espera acabar as eleições: todos andarão dentro das quatro linhas da Constituição. Vamos trazer essa minoria que pensa que pode tudo para dentro das quatro linhas da Constituição”, afirmou.

    O candidato Ciro Gomes deu entrevista à Rádio Metrópole, em Salvador, e afirmou não saber “como furar o bloqueio da disputa entre Lula e Bolsonaro”. O candidato disse estar “trabalhando” e que não se deixa “humilhar” ou “abater”.

    “Se eu fosse me render a minha humildade, eu devia lhe dizer ‘não sei’. Não sei, francamente, como fazer isso. Mas, como eu não gosto de perplexidade, eu sou da luta, o que eu estou pensando em fazer? A minha parte”, afirmou.

    A senadora Simone Tebet visitou o Porto Digital, no Recife, e se reuniu com mães de crianças com deficiência. Ela voltou a defender o teto de gastos e uma reforma tributária que “unifique impostos”.

    Segundo a candidata, o único recurso que deve ficar fora do teto é o do “Fundo Nacional da Ciência, Tecnologia e Inovação”.

    “Só que o nosso orçamento, como nós contingenciamos, nós cortamos esses recursos, nós gastamos infinitamente menos que o resto dos países desenvolvidos do mundo. Isso não dá certo”, colocou.

    Debate

    As emissoras CNN e SBT, o jornal O Estado de S. Paulo, a revista Veja, o portal Terra e a rádio NovaBrasilFM formaram um pool para realizar o debate entre os candidatos à Presidência da República, que acontecerá no dia 24 de setembro.

    O debate será transmitido ao vivo pela CNN na TV e por nossas plataformas digitais.

    *Com informações de Laura Slobodeicov e Gabriela Bernardes 

    FOTOS — Veja os candidatos à vice-presidência nas eleições de 2022