Maia marca reunião sobre futuro de Flordelis; líderes preveem cassação

Presidente da Câmara tem avaliado a situação da parlamentar como difícil; ela foi indiciada pela morte do marido, o pastor Anderson do Carmo

Igor Gadelhada CNN

Ouvir notícia

O presidente da Câmara, Rodrigo Maia (DEM-RJ), marcou para a próxima terça-feira, 1º de setembro, as reuniões da Mesa Diretora e do colégio de líderes para decidir o futuro da deputada Flordelis (PSD-RJ).

A interlocutores, o presidente da Câmara tem avaliado que a situação da parlamentar, indiciada nesta semana pela morte do marido, o pastor Anderson do Carmo, é muito difícil.

Leia também:
Flordelis: entenda o caso da deputada acusada de mandar matar o marido
Filha e neta de Flordelis pedem conversão de prisão preventiva em domiciliar

A deputada federal Flordelis dos Santos de Souz
A deputada federal Flordelis dos Santos de Souza (PSD), mulher do pastor Anderson do Carmo de Souza
Foto: Fernando Frazão – 25.jun.2019 / Agência Brasil

Essa também é a avaliação de líderes dos principais partidos da Casa ouvidos pela CNN. Nos bastidores, dizem não ver outra saída para Flordelis, senão a cassação de seu mandato.

“É uma situação muito complicada. Ela não resiste ao plenário”, afirmou à coluna o líder de um dos maiores partidos da Câmara. “É muito ruim a situação”, disse outra liderança do Centrão.

O Ministério Público do Rio de Janeiro informou ter encaminhado à Câmara a documentação sobre o caso. Segundo Maia, os documentos não tinham chegado até esta quarta-feira (26).

A defesa da parlamentar fluminense disse não ver elementos mínimos suficientes que sustentem o indiciamento dela como mandante do assassinato do marido.

Caminhos

Um dos caminhos para a cassação na Câmara é por meio do Conselho de Ética, cujos trabalhos estão suspensos por conta da pandemia. Para isso, um partido ou a Mesa Diretora terá de protocolar uma representação.

Após a análise pelo colegiado, o caso terá de ser submetido ao plenário da Casa. Há deputados defendendo, porém, a possibilidade de a cassação ser analisada diretamente no plenário.

Mais Recentes da CNN