Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Mais importante é garantir a votação nesta semana”, diz Padilha à CNN sobre novo marco fiscal

    Ministro das Relações Institucionais falou sobre os esforços de concluir as votações das pautas econômicas antes do recesso parlamentar

    Da CNN

    Em entrevista à CNN, o ministro das Relações das Institucionais, Alexandre Padilha, afirmou que o texto do novo marco fiscal “está bastante equilibrado” e que “o mais importante é garantir a votação nesta semana”.

    “Nós estamos conversando com líderes da Câmara para manter o texto do Senado, que teve um avanço importante”, disse.

    Segundo ele, há um “desejo” da Câmara dos Deputados de compreender as mudanças defendidas pelo governo, como a do cálculo de despesas apresentado no projeto de lei orçamentária em agosto.

    “Do jeito que foi aprovada a Câmara, a projeção do que poderia ser colocado como despesa ia estar pautado pelo IPCA de junho de 2022 até junho de 2023. O índice de inflação de dezembro de 2022 a 2023 será maior, isso significa que você tem um proposta mais realista e cerca de 30% a 40% para projetos estruturantes para o país”, explicou.

    Sobre a reforma tributária, Padilha disse que “o esforço é buscar, pelo menos na Câmara, a votação ainda no primeiro semestre”.

    “A Câmara não pode perder a chance de dar um passo importante para o país.”

    Ele ainda ressaltou que ela busca “simplificar os impostos”. “Vai acabar com essa balbúrdia tributária. Não existe qualquer aumento de carga tributária, muito pelo contrário”, afirmou.

    A Câmara dos Deputados focará, nesta semana, na aprovação das pautas econômicas que estão em discussão na casa antes do recesso parlamentar.

    A mesa diretora, encabeçada pelo presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), suspendeu a realização de reuniões, sessões solenes e discussões nas comissões para concentrar esforços nas votações em plenário.

    Com isso, a expectativa é que sejam aprovados, até o fim da semana, o projeto de lei que altera regras do Conselho Administrativo de Recursos Fiscais (Carf), o novo marco fiscal e a reforma tributária.

    (Publicado por Marina Toledo)