Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Marta diz ser “PT raiz” ao retornar ao partido: “Estou de volta para caminharmos juntos”

    Ex-prefeita paulistana retorna ao partido para ser vice na chapa de Guilherme Boulos (PSOL) ao Executivo municipal

    Douglas Portoda CNN São Paulo

    A ex-prefeita paulistana Marta Suplicy disse, nesta sexta-feira (2), durante sua cerimônia de filiação ao PT, ser “raiz” do partido e que está de volta para “caminharmos juntos”.

    “Estou muito emocionada. Nesta noite, eu só pensava nisso, que emoção seria essa volta. E realmente está sendo muito forte, voltar ao ninho, sentir que eu sou PT raiz, que nunca saiu de dentro de mim. Me emociona muito e ver o carinho de todos é uma coisa muito forte”, afirmou Marta.

    Marta retorna ao PT após cerca de nove anos para compor como vice a chapa de Guilherme Boulos (PSOL) à Prefeitura de São Paulo.

    A ex-prefeita disse estar voltando para o seu “aconchego”, para a legenda que “nunca saiu de mim: o partido dos trabalhadores e das trabalhadoras”.

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) foi o responsável pelo convite de Marta voltar ao PT e ser vice de Boulos. Ela diz que tomou o pedido como “uma convocação”.

    “Estou de volta para caminharmos juntos e mantermos nosso espírito de luta na defesa da democracia como instrumento de composição das diferenças, da pluralidade e respeito às liberdades democráticas, hoje ameaçadas pelo crescimento da direita autoritária em nosso país”, expressou.

    Boulos confirma Marta como vice

    Durante seu discurso na cerimônia de filiação, Boulos confirmou Marta como sua vice.

    “Marta, minha companheira, hoje a Gleisi [Hoffmann] te deu as boas-vindas ao PT, e eu quero te dar as boas-vindas à chapa vitoriosa que vai mudar a cidade de São Paulo”, disse Boulos

    “Quando a Marta caminhar com a gente, com nosso projeto, ela fez isso e nós conversamos muito, com a consciência de uma missão. A missão que nós temos em outubro desse ano, todos nós, é derrotar o bolsonarismo na maior cidade do país. E a Marta veio para construir essa frente. Porque o desafio é grande e o que está em jogo é muita coisa”, prosseguiu.

    O deputado estadual Eduardo Suplicy (PT-SP) chegou a tentar realizar prévias para a escolha do representante petista.

    Posteriormente, a possibilidade de prévias foi rechaçada pelo partido após uma reunião da executiva do Diretório Municipal. Caso surgisse uma nova candidata, seria avaliada internamente.

    O próprio Suplicy acabou deixando a ideia de lado e declarou apoio à chapa com Boulos e Marta.

    Saída de Marta do PT

    Marta saiu do PT em abril de 2015. Em sua carta de desfiliação, a ex-prefeita afirmou que foi “isolada e estigmatizada” pela direção e que se sentia “constrangida” com a investigação de crimes de corrupção.

    Entre 2015 e 2018, a então senadora esteve no MDB. Posteriormente entrou no Solidariedade, partido que ficou até 2020.

    Entre janeiro de 2021 e janeiro de 2023, Marta fez parte da administração de Bruno Covas (PSDB)/Ricardo Nunes (MDB) na prefeitura paulistana como secretária de Relações Internacionais. Sua saída do governo aconteceu após a reunião com Lula.