Médica que defende cloroquina decide travar disputa com Mandetta

Ministro da Saúde discorda sobre uso da hidroxicloroquina no tratamento da COVID-19

A oncologista Nise Yamaguchi fala à CNN sobre coronavírus e hidroxicloroquina
A oncologista Nise Yamaguchi fala à CNN sobre coronavírus e hidroxicloroquina Foto: CNN (07.abr.2020)

Basília Rodriguesda CNN

Ouvir notícia

Após ser cotada para o Ministério da Saúde no lugar de Mandetta, e aceitar compor o gabinete de crise no Planalto, a médica Nise Yamaguchi decidiu adotar o discurso de que também fala em nome da ciência ao defender o uso de hidroxicloroquina como tratamento contra o coronavírus logo no início da apresentação dos sintomas.

Ao apresentar sua tese ao ministro Mandetta, nesta segunda-feira, Yamaguchi ouviu dele que seu pensamento não representava a voz da sociedade brasileira de médicos. A imunologista, que conta com especial trânsito no Palácio do Planalto, bateu o pé e disse que também representa essa sociedade.

Leia também:

Quem é a médica defensora da hidroxicloroquina que se reuniu com Bolsonaro

Veja a íntegra da entrevista de Nise à CNN

Não é preciso um estudo científico para saber que Nise e Mandetta não se dão. “Ela decidiu se reposicionar, mostrar que não é achismo. Vai expor a politização que estão colocando nesse assunto”, disse a fonte.

Com agenda extensa de entrevistas, a médica pretende intimar os atores contrários ao uso da hidroxicloroquina e azitromicina para tratamento precoce para um debate público. Em entrevistas no Planalto, o ninistro ressalta com frequência: não há estudos suficientes para comprovar o uso precoce da hidroxicloroquina.

Nesta segunda, auxiliares de Bolsonaro não esconderam o favoritismo de Yamaguchi para que ela fosse escolhida ministra da Saúde. A médica é vista como alternativa mais técnica para a pasta do que o deputado federal Osmar Terra, que também é médico. A mudança não foi confirmada.

Mais Recentes da CNN