Quem são os pré-candidatos ao governo e ao Senado em Minas Gerais

Governador Romeu Zema (Novo) pode enfrentar nas urnas o ex-prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD)

Cidade administrativa, em Belo Horizonte, sede do governo de Minas Gerais
Cidade administrativa, em Belo Horizonte, sede do governo de Minas Gerais Gil Leonardi/Imprensa MG/Governo MG

Renata Souzada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema, deve tentar neste ano a reeleição como um dos possíveis candidatos a governador de Minas. Em 2018, ele foi eleito em segundo turno, com 71,4% dos votos válidos, após derrotar o ex-governador e ex-senador Antonio Anastasia, atual ministro do TCU (Tribunal de Contas da União).

Zema pode ter como adversário em outubro o prefeito de Belo Horizonte, Alexandre Kalil (PSD). Os nomes podem mudar, porque os partidos têm até 5 de agosto para realizar suas convenções e definir os candidatos e candidatas nas eleições de 2022.

Os pré-candidatos a governador de Minas Gerais

Um levantamento da CNN aponta quem serão os possíveis candidatos a governador de Minas Gerais:

Romeu Zema (Novo)

O atual governador, Romeu Zema (Novo), tem liderado as pesquisas de intenção de voto no estado e deve tentar a reeleição.

Nascido em Araxá, cidade que faz parte do Triângulo Mineiro, é formado em administração. Zema estreou na vida política vencendo as eleições para governador, em 2018.

Alexandre Kalil (PSD)

Alexandre Kalil (PSD) renunciou ao seu mandato como prefeito de Belo Horizonte e é o pré-candidato pelo PSD. Em 2016, foi eleito prefeito em segundo turno, enquanto na última eleição municipal, em 2020, elegeu-se em primeiro turno.

Nascido na capital do estado, o ex-prefeito foi presidente do Atlético Mineiro por seis anos, antes de ingressar na carreira política. Em 2014, chegou a se lançar na disputa como deputado federal, mas renunciou à candidatura. Kalil fechou oficialmente uma aliança com o PT e terá o apoio do partido na disputa estadual. O Partido dos Trabalhadores deverá indicar o candidato a vice na chapa.

Apesar do apoio do PT a Kalil, o PSB, aliado dos petistas no campo nacional, também lançou um pré-candidato: o ex-deputado federal Saraiva Felipe, que foi ministro da Saúde  entre 2005 e 2006, na primeira gestão de Lula como presidente.

Miguel Corrêa (PDT)

Já o PDT, de Ciro Gomes, tem como pré-candidato o ex-petista Miguel Corrêa, que foi declarado inelegível pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE) por abuso do poder econômico em sua campanha ao Senado, em 2018, quando ainda era do PT. Corrêa foi deputado federal por três legislaturas, antes de sua derrota ao tentar o Senado.

Carlos Viana (PL)

O senador Carlos Viana migrou para o PL durante o período de janela partidária, depois de uma rápida passagem pelo MDB, e confirmou sua pré-candidatura ao governo do estado. O mandato de Viana no Senado, iniciado em 2019, se encerra em 2027. Nascido na cidade de Braúnas, o parlamentar é formado em jornalismo e foi professor universitário. Ele disputou a primeira eleição em 2018 e conquistou uma vaga de senador concorrendo pelo PHS.

Marcus Pestana (PSDB)

Apesar de ter feito parte da base de Zema – seu vice, Paulo Brant, é tucano -, o PSDB se afastou do governador e que cogita ter um candidato próprio na disputa: o ex-deputado federal Marcus Pestana, que também foi vereador em Juiz de Fora e é deputado estadual.

Renata Regina (PCB)

O PCB lançou Renata Regina como pré-candidata. Ela é secretária política da sigla em Belo Horizonte. Militante de pautas sociais, como o movimento feminista, Renata já formou chapa para disputar o governo do estado em 2010 e 2014. Em 2018, concorreu como deputada federal. Fora da vida política, atua como fotógrafa e doula.

Lorene Figueiredo (PSOL)

Ainda no campo da esquerda, a professora Lorene Figueiredo (PSOL), presidente do partido em Juiz de Fora, também se colocou como pré-candidata.

Fotos – os pré-candidatos ao governo de Minas Gerais

Os pré-candidatos ao Senado por Minas Gerais

As três vagas de Minas Gerais no Senado são ocupadas, atualmente, por Carlos Viana (PL), cujo mandato termina em 2027; o presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD), cujo mandato também termina em 2027, e Alexandre Silveira (PSD), suplente de Antonio Anastasia, que termina o mandato em 2023.

Alexandre Silveira (PSD)

O atual senador Alexandre Silveira (PSD) deve ser candidato à reeleição. Silveira é presidente do PSD em Minas e secretário-geral nacional do partido, e deve concorrer ao Senado na mesma chapa do prefeito Alexandre Kalil. Ele é delegado de polícia, foi secretário de Saúde de Minas na gestão de Antonio Anastasia e diretor-geral do Dnit durante o governo Lula.

Duda Salabert (PDT)

Vereadora mais votada de Belo Horizonte em 2020, Duda Salabert (PDT) avalia proposta de seu partido para concorrer a uma cadeira no Senado. De acordo com sua assessoria, a chance de Salabert se candidatar à vaga aumentou com a saída de Reginaldo Lopes (PT) da disputa.

Marcelo Álvaro Antônio (PL)

Ex-ministro do Turismo do governo do presidente Jair Bolsonaro, Marcelo Álvaro Antônio (PL) é o pré-candidato ao Senado na chapa de Carlos Viana. Ele foi eleito deputado federal por dois mandatos, em 2015 e 2019. Em 2019, licenciou-se do cargo para assumir o Ministério do Turismo, que ocupou até 2020, quando foi demitido. Foi também vereador entre 2013 e 2015.

Gilson Reis (PCdoB)

O pré-candidato do PCdoB ao Senado é Gilson Reis, professor e presidente da Confederação Nacional dos Trabalhadores em Estabelecimento de Ensino. Natural de Belo Horizonte, é formado em biologia. Gilson foi vereador em dois mandatos. Em 2018, concorreu como deputado estadual, mas não foi eleito.

Cleitinho Azevedo (PSC)

Outro possível concorrente é Cleitinho Azevedo (PSC). Nascido no município de Divinópolis, ele era músico antes de iniciar a carreira política. Embora ainda não tenha confirmado sua pré-candidatura, é o nome cotado por seu partido. Eleito em 2016 como vereador, ele cumpre desde 2019 mandato como deputado estadual.

Confira abaixo os senadores cujos mandatos terminam em 2023. As vagas deles no Senado estarão em jogo nas eleições deste ano

CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto pela TV e por nossas plataformas digitais.

*Com informações de Gabriela Ghiraldelli e Leonardo Rodrigues

Mais Recentes da CNN