Ministério da Justiça arrecadou em um mês cerca de R$ 9 milhões com leilões

Só no dia 29, foram arrecadados R$ 4,5 milhões com a venda de cinco barras de ouro e 15 pedras de diamantes apreendidos na Operação Lava Jato

Joias do ex-governador Sérgio Cabral foram a leilão
Joias do ex-governador Sérgio Cabral foram a leilão Foto: Reprodução/CNN

Isabelle Resende, da CNN, no Rio

Ouvir notícia

Apenas no mês de julho, a Secretaria Nacional de Políticas sobre Drogas do Ministério da Justiça arrecadou aproximadamente R$ 9 milhões em 20 leilões de itens apreendidos pela Polícia Federal.

Só no dia 29, foram arrecadados R$ 4,5 milhões com a venda de cinco barras de ouro e 15 pedras de diamantes apreendidos na Operação Lava Jato. As peças pertenciam ao ex-governador do Rio Sérgio Cabral e foram repatriadas pela força tarefa do Ministério Público Federal do Rio, em março deste ano. O número de leilões realizado em julho é recorde. Até 2018, eram realizado em média oito leilões por ano.

Leia mais:
Leilão de joias de Sérgio Cabral arrecada R$ 4,6 milhões

O diretor de Gestão de Ativos da Senad, Giovanni Magliano Júnior, ressalta que o recorde na realização de leilões vem do esforço do Ministério da Justiça e Segurança Pública em parceria com as forças policiais dos estados, para avançar na gestão do patrimônio apreendido e na descapitalização do tráfico de drogas e de outros crimes.

“Hoje, a pasta busca reduzir o tempo de armazenamento de bens apreendidos, para que esses recursos não sejam desperdiçados, pelo contrário, sejam rapidamente investidos em benefício da sociedade”, afirma.

Os valores arrecadados com o leilão de itens apreendidos do tráfico são destinados ao Fundo Nacional Antidrogas, que financia programas de prevenção e de combate às drogas. Já os valores arrecadados com o leilão de bens apreendidos de crimes de corrupção vão para o Fundo Penitenciário Nacional (Funpen) ou para o Fundo Nacional de Segurança Pública (FNSP).

Mais Recentes da CNN