Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Moraes convida especialistas e “hackers do bem” a testar segurança das urnas

    Sétima edição do teste público de segurança será feita de 27 de novembro a 1º de dezembro no TSE

    Ministro Alexandre de Moraes na sessão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 24 de agosto de 2023.
    Ministro Alexandre de Moraes na sessão do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) em 24 de agosto de 2023. Alejandro Zambrana/Secom/TSE

    Lucas Mendesda CNN

    em Brasília

    O presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Alexandre de Moraes, anunciou, na manhã desta quinta-feira (24), a abertura de inscrições para participar do teste público de segurança das urnas eletrônicas e dos sistemas eleitorais.

    “Qualquer brasileira ou brasileiro pode participar, de forma individual ou em grupos de até cinco pessoas”, afirmou, na abertura da sessão da Corte.

    Veja também: PF suspeita de uso da Abin para grampear Moraes no governo Bolsonaro

    “Esse momento é importante para que todos os especialistas em tecnologia, os chamados ‘hackers do bem’, possam testar as urnas e os sistemas eleitorais, para verificar segurança, tentar identificar alguma vulnerabilidade, para que sempre possamos aprimorar a segurança das urnas”, acrescentou.

    O objetivo do teste é oferecer uma oportunidade para que especialistas analisem os sistemas que serão usados nas eleições e identifiquem eventual fragilidade que possa ser reparada antes do pleito.

    Este ano, o teste público de segurança será realizado de 27 de novembro a 1º de dezembro, na sede do TSE. Será a sétima edição do evento. As inscrições podem ser feitas no site do TSE na internet.

    No teste, os participantes podem avaliar sistemas usados para a geração de mídias das urnas, para votação, apuração, transmissão e recebimento de arquivos, inclusive o hardware da urna eletrônica, seus softwares embarcados e os sistemas de apoio aos processos de auditoria sobre software da urna.

    “Nós no TSE, em toda a Justiça Eleitoral, Tribunais Regionais Eleitorais, não paramos. Uma eleição acaba, já começam a trabalhar para preparar as próximas eleições, no caso as municipais de 2024, que serão presididas pela ministra Cármen Lúcia”, citou.

    O pleito de 2024 elegerá prefeitos e vereadores nos municípios brasileiros.

    Veja também: Edilene Lobo, primeira mulher negra no TSE, toma posse na Corte