Moro diz que vai divulgar quanto ganhou por trabalho na iniciativa privada

Ex-ministro é alvo de processo no TCU que apura se houve suposto conflito de interesses durante período em que trabalhou em empresa de consultoria

Vinícius Tadeuda CNN

São Paulo

Ouvir notícia

Diante da determinação do Tribunal de Contas da União (TCU) de que a consultoria norte-americana Alvarez & Marsal divulgue quanto pagou ao ex-juiz Sergio Moro pelos serviços prestados, o pré-candidato à Presidência pelo Podemos afirmou que irá divulgar, na próxima sexta-feira (28), os seus rendimentos durante o período em que trabalhou na empresa.

A divulgação será feita nas redes sociais do ex-ministro. Moro afirmou que irá mostrar que, durante o seu período na iniciativa privada, não recebeu nenhum valor de empresas investigadas pela Operação Lava Jato. “Quem fala isso, mente”, disse.

Após pedir demissão do cargo de ministro da Justiça do governo de Jair Bolsonaro, em abril de 2020, Moro foi contratado pela Alvarez & Marsal, empresa de consultoria que também prestou serviços de recuperação judicial para a Odebrecht e outras empresas afetadas pela Lava Jato. O ex-juiz se desvinculou da companhia em 31 de outubro deste ano.

“O PT e o Centrão queriam me investigar por uma CPI. Já desistiram, porque sabem que não iam encontrar nada de errado e iam quebrar a cara”, disse Moro em vídeo publicado nesta quarta-feira (26).

O ex-ministro ainda fez críticas ao processo instaurado no TCU, que apura se houve suposto conflito de interesses ou “favorecimentos, manipulação e troca de favores entre agentes públicos e organizações privadas” durante o período em que Moro foi contratado.

De acordo com o ex-juiz, o procedimento “é um abuso” e está “cheio de irregularidades”. “Não estou cedendo ao TCU, o TCU está abusando, mas eu quero ser transparente com você, com a população brasileira, como toda pessoa pública deve ser. Então, aguarde e vai ter as informações”, concluiu Moro.

 

Mais Recentes da CNN