Moro mantém agenda de pré-candidato com evangélicos

Reuniões estão previstas mesmo sem que o ex-juiz tenha garantia de ter a legenda do União Brasil para disputar a eleição presidencial

Ex-ministro e ex-juiz Sergio Moro durante pronunciamento em São Paulo
Ex-ministro e ex-juiz Sergio Moro durante pronunciamento em São Paulo Bruno Rocha/Enquadrar/Estadão Conteúdo

Iuri Pitta

Ouvir notícia

O ex-ministro Sergio Moro, recém-filiado ao União Brasil, planeja encontros com segmentos evangélicos, dentro da estratégia que havia sido traçada ainda como pré-candidato à Presidência pelo Podemos. As próximas conversas com lideranças religiosas estão previstas para a primeira quinzena de maio.

Mesmo sem garantia de ter a legenda do União Brasil para disputar o Palácio do Planalto, estão previstas conversas de Moro com integrantes da Hillsong, maior igreja de jovens do mundo, em São Paulo, e com membros da World Evangelical Alliance (WEA), entidade com sede em Londres que atua em defesa da liberdade religiosa junto a congregações em todo o mundo.

“Para nós, seguem os mesmos planos”, diz o advogado Uziel Santana, ex-presidente da Associação Nacional dos Juristas Evangélicos (Anajure) e articulador de Moro com o segmento. Para ele, não há como se falar em candidato de terceira via ou do centro democrático, como MDB, União Brasil, PSDB e Cidadania têm definido o grupo, sem considerar o nome do ex-ministro.

“Não existe terceira via sem o eleitorado evangélico. E o único nome com acesso e voto entre os evangélicos é Sergio Moro”, afirma Uziel Santana.

Desde o início do ano, Moro dedicou atenção especial aos evangélicos, que representam cerca de 30% do eleitorado brasileiro. Em fevereiro, apresentou em Fortaleza uma carta de princípios cristãos com uma série de acenos às igrejas e instituições filantrópicas ligadas às denominações, tanto as tradicionais quanto as pentecostais e as neopentecostais.

CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

Mais Recentes da CNN