Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Moro rebate Gilmar sobre atuação do Ministério da Justiça em pandemia

    "Tenho feito meu trabalho", disse ministro da Justiça

    Gabriela Coelho

    Da CNN, em Brasília

    Ouvir notícia
    O ministro Sergio Moro (Justiça e Segurança Pública) rebateu nesta segunda-feira (13) o ministro do Supremo Tribunal Federal, Gilmar Mendes, que cobrou uma atuação mais efetiva da pasta durante a pandemia do novo coronavírus. 

    Em um evento promovido pelo site Jota, o ex-juiz afirmou que “não está preocupado em ser popular.

     “Eu tenho feito meu trabalho. Nessa área, temos tomado decisões que entendemos cabíveis e tomando a frente e em algumas situações como os fechamentos de fronteiras. Temos feito o melhor e contando com a compreensão da população. O importante é cuidar do dia a dia e pensar no futuro”, disse. 

    Moro afirmou ter feito “alguns apontamentos” na Recomendação 62 do CNJ (Conselho Nacional de Justiça), que trata de medidas de prevenção à COVID-19 no sistema prisional. “Vivemos em um momento difícil e gera desafios em diversas áreas, igualmente no âmbito prisional”, disse.

    “Nós temos um infectado no Pará – preso que saiu temporariamente. Ao retornar, apresentou sintomas. Foi colocado em domiciliar. Também sabemos no Ceará e DF. A ideia é prevenir ao máximo, forma de protegê-los. Todos os presos estão sujeitos às medidas mais preventivas. Casos estão promovendo isolamento o quanto antes”, disse.

    O ex-juiz também observou que o Supremo tem tomado decisões livremente. “Pode ser que a pandemia gere algumas ansiedades. Importante ouvir sempre o executivo, as medidas que estão sendo tomadas antes de fazer interferências. Mas em geral tenho admiração pelo STF”, afirmou Moro, que ainda avaliou haver ativismo na corte — embora não considere isso negativo.

    “Pode ser que a pandemia gere algumas ansiedades. Importante ouvir sempre o Executivo, as medidas que estão sendo tomadas antes de fazer interferências. Mas em geral tenho admiração pelo STF”, afirmou Moro. 

    Mais Recentes da CNN