Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Na volta do recesso, Lira quer “resultados” de negociações com governo Lula

    Planalto promete solução para corte em emendas, mas reoneração e isenções a religiosos seguem como focos de tensão

    Clarissa Oliveirada CNN São Paulo

    Em meio aos preparativos para a volta do recesso, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), desembarca em Brasília decidido a tensionar a relação com o governo federal.

    Lira, segundo interlocutores ouvidos pela CNN, deve retomar a pressão sobre o Executivo e espera “resultados” das negociações iniciadas durante o recesso antes do carnaval.

    Corte em emendas

    Três temas principais devem ser contemplados nas conversas. O primeiro deles já vem com uma promessa de solução por parte do governo: o corte nas emendas parlamentares no valor de R$ 5,6 bilhões.

    A ministra do Planejamento, Simone Tebet, informou que o governo pretende enviar um projeto de lei ao Congresso para reverter o corte feito por veto pelo presidente Lula.

    Lira, entretanto, tem se queixado, nos bastidores, do não cumprimento de promessas do Planalto.

    Queixas

    Dois outros assuntos pendentes são a medida provisória da reoneração da folha e o corte das isenções fiscais a líderes religiosos.

    O presidente da Câmara já vinha se queixando nas conversas reservadas de promessas não cumpridas pelo Planalto. Ele chegou a convocar uma reunião de líderes na última segunda-feira, colocando pressão nas negociações. Mas acabou desmarcando o encontro.

    Lira ainda não marcou uma nova conversa, mas deve reabrir as consultas aos líderes partidários na próxima semana.

    Tópicos

    Tópicos