Não há focos de resistência à aliança entre PT e PSB, diz Paulo Câmara

Governador de Pernambuco e vice-presidente do PSB revelou à CNN que os dois partidos estão trabalhando por uma "aliança nacional"

Elis FrancoVinícius Tadeuda CNN

São Paulo

Ouvir notícia

Depois da realização de uma reunião entre dirigentes do Partido dos Trabalhadores (PT) e do Partido Socialista Brasileiro (PSB) nesta quinta-feira (20) que teve como assunto principal as eleições de 2022, o governador de Pernambuco e vice-presidente do PSB, Paulo Câmara, afirmou em entrevista à CNN que defende uma aliança com o PT para o lançamento de uma candidatura à Presidência da República.

“Não tenho dúvida de que com muito diálogo, muita transparência e com bem comum em favor do Brasil a gente vai chegar aos consensos necessários para que 2022 seja um ano importante para o futuro do país”, disse o governador.

Embora o acordo ainda não tenha sido oficializado, ambos os partidos negociam os últimos detalhes para que uma chapa entre o ex-presidente Lula e o ex-governador de São Paulo Geraldo Alckmin concorra à eleição presidencial deste ano. Câmara considera que nem mesmo os impasses envolvendo os nomes de candidatos a governos estaduais representam resistência ao acordo.

“Sou muito otimista, otimista de que nós vamos ter condições de construir essa aliança nacional, está tudo andando bem. Eu não vejo focos de resistência, muito pelo contrário. Vamos sim, no âmbito local, ter essa capacidade de definir o que será melhor para essa frente e o melhor para o Brasil”, avaliou.

O governador de Pernambuco ainda reforçou o convite do PSB para que Alckmin se filie ao partido, e disse que o ex-tucano será “muito bem-vindo”. Câmara afirmou que as experiências políticas de Lula e Alckmin irão “agregar” e “conduzir bem os destinos do Brasil no futuro”.

Ainda sobre as alianças para pleitos estaduais, o vice-presidente do PSB disse que os dois partidos “com certeza irão chegar a consensos dentro do prazo estabelecido para os arranjos nacionais”. “Vamos fazer isso de maneira muito serena, responsável e transparente”, disse.

Câmara defendeu que o PSB contará com a cabeça de chapa para a disputa eleitoral do governo de Pernambuco, e considerou importante que a frente com o PT seja feita também no estado.

O governador ainda defendeu outras candidaturas estaduais, como a de Marcelo Freixo ao governo do Rio de Janeiro. Câmara afirmou que o PT não possui candidato no estado e que a presidente do partido, Gleisi Hoffmann, está trabalhando para apoiar Freixo.

“Ele com certeza vai ter um desafio muito grande, um desafio de recuperar o Rio de Janeiro. O estado precisa de gestores públicos e de políticos do porte de Marcelo Freixo, e ele é uma das prioridades para o partido para 2022”, disse o vice-presidente do PSB.

Mais Recentes da CNN