“Não há nenhuma chance de um golpe se consumar no Brasil”, diz Ciro Gomes

Em entrevista à CNN, o pré-candidato à Presidência da República pelo PDT discorreu sobre o cenário eleitoral

Ludmila CandalRenata Souzada CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Em entrevista à CNN nesta sexta-feira (13), o pré-candidato à Presidência da República pelo Partido Democrático Trabalhista (PDT), Ciro Gomes, afirmou que não acredita que um golpe de Estado tenha chances de se concretizar, atualmente, no Brasil.

Citando uma entrevista do general Sérgio Etchegoyen, e dizendo concordar com a posição, Ciro afirmou que “não há nenhuma, nenhuma, chance de um golpe se consumar no Brasil, mas que isso está na cabeça e está ajudado isso na cabeça ‘tarada’ do Bolsonaro. Mas está ajudado também pelo comportamento, às vezes ingênuo, às vezes politiqueiro demais, de certas autoridades do Judiciário”.

Em uma série de críticas à atuação de Jair Bolsonaro (PL) no Palácio do Planalto, Ciro disse que a história do presidente é de “mediocridade corrupta, fisiológica, que nunca assumiu nenhum assunto relevante do Brasil”.

O pré-candidato do PDT afirmou ainda que Bolsonaro está sendo um “grande corrupto” e um “pervertido”. “Inclusive, em temas de costumes é um pervertido. Quem quiser duvidar do que eu estou falando, o Bolsonaro confessa zoofilia”, apontou.

Diante da sequência de comentários negativos, Ciro analisou a eleição de Jair Bolsonaro em 2018 como sendo consequência do sentimento gerado na população pelos anos em que governou o Partido dos Trabalhadores (PT).

“70 de cada 100 eleitores brasileiros, os nossos irmãos, das regiões mais desenvolvidas do Brasil, nas eleições de 2018 votaram no Bolsonaro. Não há a menor chance de 70% do eleitorado brasileiro ser de direita fascista, canalha, corrupta, como o Bolsonaro é”, analisou.

Segundo Ciro, a vitória de Bolsonaro se justifica, então, pela “mágoa, a mágoa extensa, o protesto magoado, embora tenha sido enganado, que o povo brasileiro votou. Para protestar contra o quê? A pior crise econômica da história brasileira, que é essa que está aí que foi produzida pelo Lula, pelo PT”.

O pedetista também não poupou críticas ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), inclusive em relação às últimas eleições gerais.

“O Lula mentiu para o povo. O povo que está nos assistindo. O Lula mentiu para o povo, que era candidato de dentro da cadeia. Depois que ficou flagrante que não era candidato, faltando pouco mais de 20 dias para as eleições, ele lança um candidato que tinha acabado de perder as eleições de São Paulo, a reeleição no cargo de prefeito.”

Em relação à campanha atual do petista, Ciro o acusou de tentar subornar a também pré-candidata Simone Tebet (MDB).

“Não utilizo suborno para tirar candidatura do caminho, como o Lula tá fazendo para tirar a candidatura da Simone Tebet”, afirmou.

CNN buscou contato com a assessoria de Jair Bolsonaro e de Luiz Inácio Lula da Silva sobre as declarações de Ciro Gomes e aguarda retorno.

Mais Recentes da CNN