Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Não tinha diploma, mas tinha consciência de que não há desenvolvimento sem investir na educação, diz Lula

    Presidente havia sido criticado pelo humorista Carlos Alberto de Nóbrega, um dia antes, por não ter diploma de ensino médio nem de nível superior

    Lucas Schroederda CNN em São Paulo

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou que, ao tomar posse como chefe do Executivo pela primeira vez, em 2003, “não tinha diploma, mas tinha consciência de que países não se desenvolvem sem investir na educação”.

    “Quando eu tomei posse, não tinha nem diploma universitário, e nem o meu vice, o [José] Alencar. Mas eu tinha consciência, nas minhas lutas sindicais, e no aprendizado que eu tive, de que não existe, na história da humanidade, e muito menos existia, alguma nação que tivesse se desenvolvido sem antes investir na educação”, disse Lula.

    A declaração do presidente foi dada na terça-feira (4) durante evento em Foz do Iguaçu, no Paraná. Um dia antes, ele havia sido criticado pelo humorista Carlos Alberto de Nóbrega justamente por não ter diploma de ensino médio nem de nível superior.

    Em entrevista ao programa “Roda Viva”, da TV Cultura, o apresentador do programa “A Praça é Nossa”, do SBT, foi questionado sobre o que perguntaria para o presidente da República se pudesse.

    Após relutar, inicialmente, ele disse que faria a seguinte pergunta: “O que o senhor me explica de um presidente da República, no dia que recebe o diploma de presidente, chora e diz que é o primeiro que recebeu na vida?”.

    Carlos Alberto acrescentou: “Um homem que não tem um curso ginasial, universitário, contábil, qualquer coisa que seja, ser presidente da República? Por isso que o país está desse jeito”.

    Nas redes sociais, Lula replicou seu discurso no Paraná: “Em 1918, a Argentina já tinha feito sua primeira reforma universitária e o Brasil não tinha sequer sua primeira universidade. Quando xingarem que o Brasil é um país atrasado, saibam que alguém quis que o país fosse assim. Quando eu e o Zé Alencar tomamos posse, nós não tínhamos diploma, mas tínhamos a consciência que nenhum país se desenvolve sem antes investir na educação.”

    Em Foz do Iguaçu, o presidente declarou ainda que a capacidade de um político é medida pela qualidade de vida que ele pode oferecer à população.

    “A gente não mede a qualidade de um político pela quantidade de ponte que ele faz, qualquer um faz ponte. A gente não mede a qualidade de um político pela quantidade de asfalto que ele coloca, qualquer um pode colocar asfalto. A gente mede a capacidade de um político pela qualidade de vida do povo daquele estado, daquela cidade, da educação ou da saúde”, completou Lula.