Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Novo premiê do Reino Unido, agenda dos presidenciáveis e mais de 25 de outubro

    Ex-ministro das Finanças britânico, Rishi Sunak assume como primeiro-ministro do Reino Unido nesta terça-feira (25) após Liz Truss renunciar ao cargo

    CNN

    A posse de Rishi Sunak como novo primeiro-ministro do Reino Unido e a agenda dos candidatos à Presidência da República estão entre os destaques desta terça-feira (25).

    Rishi Sunak assume como primeiro-ministro do Reino Unido nesta terça-feira (25)

    Rishi Sunak toma posse como primeiro-ministro do Reino Unido nesta terça-feira (25). Sunak será o terceiro premiê em menos de dois meses, e admite que tem um grande desafio para recuperar a economia britânica.

    Antes de ser oficializado de fato como primeiro-ministro, Sunak deverá encontrar-se com o monarca britânico Charles III nesta terça-feira. Ele será o primeiro premiê nomeado pelo novo rei após a morte da rainha Elizabeth II em setembro.

    A primeira-ministra britânica Liz Truss renunciou formalmente ao cargo na manhã desta terça-feira (25).

    Ela apresentou sua renúncia ao rei Charles III no Palácio de Buckingham. O rei “graciosamente” aceitou sua renúncia, segundo o Palácio.

    Lula concede entrevista; Bolsonaro visita cidades da Bahia

    Os candidatos à Presidência da República cumprem compromissos nesta terça-feira (25). Luiz Inácio Lula da Silva (PT) terá o dia ocupado por uma entrevistas e uma transmissão ao vivo, enquanto Jair Bolsonaro (PL) visita cidades baianas.

    Lula começa às 7h25, quando dá entrevista para o grupo Nova Brasil FM. Às 18h30, ele participa de uma live intitulada “Brasil do Futuro”.

    Enquanto isso, Bolsonaro faz comício em duas cidades na Bahia. Às 13h30, ele chega em Guanambi. Um ato de campanha está marcado para começar uma hora depois.

    Às 16h, ele chega na cidade de Barreiras, onde encontra com lideranças políticas e empresariais. Às 18h30, faz comício para apoiadores.

    TSE determina que coligação de Bolsonaro junte provas à petição que questiona inserções de rádio no Nordeste

    O ministro Alexandre de Moraes, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, determinou que a coligação do presidente Jair Bolsonaro apresente “provas ou documentos sérios” que sustentem a alegação de que inserções a favor do candidato à reeleição deixaram de ser exibidas na região Nordeste.

    Segundo o despacho do ministro, ao qual a CNN teve acesso, a coligação de Bolsonaro nem sequer indicou ao TSE o nome das rádios, ou o dia e hora em que as inserções deixaram de ser veiculadas.

    O ministro cobrou os dados em até 24 horas. “Os fatos narrados na petição inicial não foram acompanhados de qualquer prova e/ou documento sério, limitando-se o representante a juntar um suposto e apócrifo “relatório de veiculações em Rádio”, que teria sido gerado pela empresa ‘Audiency Brasil Tecnologia’”, escreveu Moraes.

    Em depoimento, Jefferson diz ter disparado 50 vezes contra policiais

    O ex-deputado Roberto Jefferson, preso no domingo (23), afirmou ter feito 50 disparos de fuzil durante a operação da Polícia Federal em sua casa em Comendador Levy Gasparian, no Rio de Janeiro. Os agentes, que cumpriam um mandado de prisão determinado pelo ministro Alexandre de Moraes, do STF.

    No depoimento de Roberto Jefferson, ao qual a CNN teve acesso, ele diz que quem atirou primeiro foi a polícia. A versão é contestada por policiais presentes na ação.

    O ex-deputado afirmou ainda que “não atirou em nenhum policial federal para machucar” e que “se quissesse matava os policiais porque estava em uma posição superior e com fuzil com mira”. Jefferson diz ter jogado três granadas contra os policiais.

    Falha no WhatsApp é relatada em todo o mundo nesta terça (25); aplicativo volta a funcionar

    O popular aplicativo de mensagens WhatsApp parou de funcionar para muitos usuários em todo o mundo, com usuários no Brasil, Índia, Reino Unido, África do Sul e Ásia relatando problemas com o envio e recebimento de textos e vídeos.

    “Estamos cientes de que algumas pessoas estão tendo problemas para enviar mensagens e estamos trabalhando para restaurar o WhatsApp para todos o mais rápido possível”, disse um porta-voz da empresa controladora do WhatsApp, A Meta Platforms, nesta terça-feira (25).

    O Downdetector disse que mais de 11 mil usuários em toda a Índia relataram uma interrupção, enquanto os números para o Reino Unido estavam em 68 mil e 19 mil para Singapura.

    O site de monitoramente registrou um pico de reclamações às 3h55 desta terça.

    O Whatsapp voltou a funcionar normalmente por volta das 6h.

    Newsletter

    Para receber as principais notícias todos os dias no seu e-mail, cadastre-se na nossa newsletter 5 Fatos em newsletter.cnnbrasil.com.br.

    * Publicado por Léo Lopes