Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    TRE do Amapá pede ao TSE adiamento das eleições de domingo (15) em Macapá

    O estado enfrenta um apagão já há 9 dias, desde que um incêndio gerou pane em um transformador da subestação da empresa Isolux na terça-feira (3)

    AP - APAGÃO/AMAPÁ/ONTEM - POLÍTICA - Sem energia elétrica, moradores de cidades do Amapá enfrentam borrachudos e bombas de efeito moral. Uma onda de revoltas pelo apagão, que já dura mais de uma semana, ocorre nas periferias, destaca o Estadão. O governo federal disse no domingo, 8, que 76% da energia foi restabelecida, com um sistema de rodízio. Moradores, porém, dizem que o serviço não voltou em vários pontos de Macapá e do entorno. Na noite de sábado e na madrugada de domingo, um protesto no bairro Remédios II, na cidade de Santana, a 20 quilômetros da capital, foi reprimido pela tropa de choque do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar. Os agentes dispersaram a manifestação, que bloqueou com fogo e pneus uma das vias de acesso à cidade, de 120 mil habitantes. 08/11/2020 -
    AP - APAGÃO/AMAPÁ/ONTEM - POLÍTICA - Sem energia elétrica, moradores de cidades do Amapá enfrentam borrachudos e bombas de efeito moral. Uma onda de revoltas pelo apagão, que já dura mais de uma semana, ocorre nas periferias, destaca o Estadão. O governo federal disse no domingo, 8, que 76% da energia foi restabelecida, com um sistema de rodízio. Moradores, porém, dizem que o serviço não voltou em vários pontos de Macapá e do entorno. Na noite de sábado e na madrugada de domingo, um protesto no bairro Remédios II, na cidade de Santana, a 20 quilômetros da capital, foi reprimido pela tropa de choque do Batalhão de Operações Especiais da Polícia Militar. Os agentes dispersaram a manifestação, que bloqueou com fogo e pneus uma das vias de acesso à cidade, de 120 mil habitantes. 08/11/2020 - Foto: Dida Sampaio/Estadão Conteúdo

    Gabriela Coelho, da CNN, em Brasília

    Ouvir notícia

    O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE-AP) enviou um ofício nesta quarta-feira (11) ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) no qual pediu que as eleições municipais em Macapá, capital do estado, sejam adiadas.

    O estado enfrenta um apagão já há 9 dias, desde que um incêndio gerou pane em um transformador da subestação da empresa Isolux na terça-feira (3).

    Por meio de nota o TRE-AP afirma que “a medida visa a proteção da população, permitindo que os eleitores, após o retorno de cem por cento da energia, possam, de forma segura, tranquila e serena, escolher seus representantes”.

    O Tribunal Regional também diz que “caso aprovado o pedido de adiamento, o Tribunal Superior Eleitoral definirá as novas datas”.

    “Quanto aos demais municípios, que terão energia 24 horas – de acordo com a Companhia de Eletricidade do Amapá – CEA – as eleições transcorrerão normalmente no dia 15 de novembro, próximo domingo” informou o TRE-AP.

    Segundo o colunista Fernando Molica, pouco antes, o presidente do TSE, Luís Roberto Barroso, afirmou à CNN que ainda não havia qualquer decisão a respeito do adiamento.
     

    Assista e leia também

    Alcolumbre liga para Barroso e pede que eleições no Amapá sejam adiadas

    Alcolumbre pede adiamento

    O presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), ligou para o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Luís Roberto Barroso, para pedir que as eleições no estado do Amapá sejam adiadas.  

    Até essa terça-feira (10), o democrata e o irmão dele, Josiel Alcolumbre (DEM) – que é candidato a prefeito de Macapá – defendiam que a data fosse mantida para o próximo domingo (15). 

    Para os coordenadores da campanha ouvidos pela reportagem, o problema do apagão está demorando muito para ser resolvido e a população tem ficado cada dia mais revoltada. Segundo eles, isso poderia levar ao aumento de abstenção nas urnas, como também, fazer com que Josiel Alcolumbre perdesse votos. 

    O ex-senador João Capiberibe (PSB), principal adversário de Josiel Alcolumbre na cidade, defendeu, nos últimos dias, o adiamento do pleito.

    Capiberibe tem o apoio do senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), líder da Minoria no Senado. Para Randolfe, “as pessoas nesse momento estão preocupadas com a sobrevivência e não com as eleições” e, por isso, “não há ambiente” para realizar qualquer votação.

    Oficialmente, o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) e o Tribunal Regional Eleitoral (TRE) garantem que a votação está mantida para domingo.

    Em entrevista à CNN na terça-feira, o ministro Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, garantiu as condições para a realização do pleito.

    “Eu conversei com o diretor da ONS [Operador Nacional do Sistema Elétrico] e da ANEEL [Agência Nacional de Energia Elétrica], e ambos garantiram que até o domingo tudo estará sanado”, afirmou.

    TRE AMAPÁ
     
    Foto: TRE Amapá

    (Com Larissa Rodrigues, da CNN, em Brasília)

    Nota do TRE Amapá

    O Tribunal Regional Eleitoral do Amapá (TRE/AP) deliberou em Sessão Administrativa realizada em 11 de novembro de 2020, solicitar ao Tribunal Superior Eleitoral (TSE) o adiamento das eleições no município de Macapá, capital do Estado, que sofre um racionamento de energia desde orestabelecimento gradual energético.

    A medida visa a proteção da população, permitindo que os eleitores, após o retorno de cem por cento da energia, possam, de forma segura, tranquila e serena, escolher seus representantes.

    Caso aprovado o pedido de adiamento, o Tribunal Superior Eleitoral definirá as novas datas.
    Com o acolhimento do pedido de adiamento, a força policial que seria utilizada em Macapá, será distribuída aos demais municípios, inclusive Santana e Mazagão, que integram a região metropolitana da Capital.

    Quanto aos demais municípios, que terão energia 24 horas – de acordo com a Companhia de Eletricidade do Amapá – CEA – as eleições transcorrerão normalmente no dia 15 de novembro, próximo domingo.
    Tribunal Regional Eleitoral do Amapá.

    Mais Recentes da CNN