Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Oposição quer ouvir Mauro Vieira sobre declaração de Lula contra Israel

    Em menos de uma semana, este é o segundo ministro alvo de pedidos de explicações

    Parlamentares querem que Vieira explique declarações de Lula sobre Israel
    Parlamentares querem que Vieira explique declarações de Lula sobre Israel 13/10/2023REUTERS/Brendan McDermid

    Basília RodriguesLuciana Amaralda CNN

    Brasília

    Os senadores Carlos Viana (Podemos-MG) e Carlos Portinho (PL-RJ) apresentaram requerimentos para ouvir o ministro Mauro Vieira na comissão de Relações Exteriores.

    Os parlamentares querem explicações sobre a declaração do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), que comparou a ação militar de Israel contra o Hamas na Faixa de Gaza ao assassinato de judeus pelo regime nazista de Adolf Hitler.

    No caso de Carlos Viana, que preside o grupo parlamentar Brasil-Israel, o requerimento é de convite e se estende ao ex-chanceler Celso Amorim, assessor especial da Presidência sobre assuntos internacionais.

    “É hora de nós cobrarmos posicionamento efetivo do Brasil. Há uma amizade muito profunda do Brasil e o povo de Israel. Não foram alvos militares atacados entre os israelenses, foram pessoas comuns, atos terroristas. Nosso posicionamento é firme em defesa de Israel e queremos que o governo brasileiro também acompanhe por meio da diplomacia o que pensa a maioria da população de nosso país.”

    Já o requerimento apresentado por Portinho é de convocação. Neste caso, se aprovado, o ministro fica obrigado a comparecer.

    “A fala do presidente Lula rompe com uma longa tradição diplomática construída há décadas, eleva as tensões regionais no Oriente Médio, ofende o povo judeu e põe em risco as relações bilaterais entre Brasil e Israel”, escreveu o senador.

    Outro pedido

    Em menos de uma semana, este é o segundo ministro alvo de pedidos de explicações.

    A Comissão de Segurança Pública da Câmara também tem na pauta requerimentos para ouvir o ministro da Justiça, Ricardo Lewandowski.

    No caso, para prestar esclarecimentos sobre a fuga de presos na penitenciária de segurança máxima em Mossoró (RN).