Pacheco diz achar excessivo o indiciamento de parlamentares em relatório da CPI

Presidente do Senado recebeu o relatório final nesta quarta (27)

Da CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

O presidente do Senado, Rodrigo Pacheco (PSD-MG), que recebeu nesta quarta-feira (27) o relatório final da CPI da Pandemia, fez um pronunciamento sobre o pedido de indiciamento de parlamentares no documento.

Pacheco lembrou que considerou um excesso, o pedido de indiciamento do senador Luis Carlos Heinze (PP-RS), que acabou sendo retirado do relatório.

“Não pude deixar de me manifestar ontem sobre o que considero um excesso que era o indiciamento de um colega senador, o senador Luis Carlos Heinze, por aquilo que ele representava e pelo voto que proferira e naturalmente que isso se estende aos parlamentares, que se estiverem indiciados em razão de palavras, opiniões e votos obviamente há uma prerrogativa de inviolabilidade garantida a todos os parlamentares. Mas isso ficará ao crivo das autoridades das instâncias sobre as quais terão que se pronunciar a respeito dos fatos ali contidos”, afirmou Pacheco.

Também nesta quarta, os membros da cúpula da CPI da Pandemia entregaram a Augusto Aras, procurador-geral da República, e ao ministro Alexandre de Moraes, do Supremo Tribunal Federal (STF), cópias do relatório final da comissão aprovado na terça-feira (26).

(Publicado por Evandro Furoni)

Mais Recentes da CNN