Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Paes toma posse nesta sexta e iguala número de mandatos de Cesar Maia no Rio

    Ex-prefeito reassume em plena pandemia da Covid-19 trazendo de volta antigos aliados e construindo maioria sólida na Câmara Municipal

    Eleito neste domingo (29), Eduardo Paes (DEM) discursa após resultado da eleição
    Eleito neste domingo (29), Eduardo Paes (DEM) discursa após resultado da eleição Foto: CNN (29.nov.2020)

    Guilherme Venaglia e Stéfano Salles, da CNN, em São Paulo e no Rio de Janeiro

    Quatro anos depois de deixar o cargo, Eduardo Paes está de volta à Prefeitura do Rio de Janeiro. O ex-prefeito toma posse nesta sexta-feira (31) para um novo mandato na administração da cidade, com duração até dezembro de 2024.

    Assumindo seu terceiro mandato como prefeito do Rio de Janeiro, Paes iguala a marca do hoje vereador César Maia (DEM), que dirigiu a cidade entre 1993 e 1996 e entre 2001 e 2008.

    Os ex-prefeitos têm uma relação de idas e vindas. Eduardo Paes começou na vida pública na primeira administração de César Maia, quando foi subprefeito da Barra da Tijuca. Passaram anos rompidos e em 2018 voltaram a fazer parte do mesmo partido, quando Paes deixou o MDB e ingressou no DEM.

    Quatros anos depois, algumas coisas mudaram e outras não. O prefeito está em outro partido, mas continua carregando o deputado Pedro Paulo (DEM-RJ) como seu fiel escudeiro. Pedro Paulo, que tentou ser prefeito com o apoio de Paes em 2016, retorna com ele à Prefeitura, agora como secretário da Fazenda e Planejamento.

    Quem também reedita a parceria com o prefeito é o deputado Marcelo Calero (Cidadania-RJ).

    Em 2016, Calero deixou a secretária da Cultura no segundo governo Paes para ser ministro da área do então presidente Michel Temer (MDB). Seis meses depois, saiu acusando Temer e o colega de ministério Geddel Vieira Lima de tentarem intervir politicamente em uma decisão técnica do patrimônio histórico.

    Eleito deputado federal em 2018 com a plataforma do combate à corrupção, Calero retorna em uma posição de destaque à Prefeitura, agora como secretário municipal de Governo e Integridade.

    Assista e leia também:

    Quem é Eduardo Paes, eleito à prefeitura do Rio de Janeiro

    Quais os desafios do próximo prefeito do Rio de Janeiro?

    21 capitais mantêm posses presenciais mesmo na pandemia da Covid-19

    Confira a lista dos prefeitos eleitos nas capitais brasileiras

    Transição turbulenta

    Eduardo Paes volta a ser prefeito do Rio de Janeiro em um momento turbulento. A cidade vive uma situação delicada em relação à pandemia do novo coronavírus e está inserida em um estado às voltas com a lotação dos leitos de UTI e relatos de aglomeração.

    Segundo o analista da CNN Fernando Molica, Paes pretende anunciar no próximo domingo (3) o plano municipal de vacinação do Rio de Janeiro. Antes mesmo da posse, o ex-prefeito acertou acordos com o Instituto Butantan, que produz a chinesa Coronavac, e com a Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz), parceira do imunizante da AstraZeneca.

    Ele também precisará lidar com a situação inusitada de assumir o cargo de prefeito sem poder recebê-lo das mãos do atual ocupante. O prefeito Marcelo Crivella (Republicanos), que enfrentou Paes no segundo turno das eleições de 2020, foi preso em seu último mês no cargo, hoje em prisão domiciliar. O prefeito em exercício é Jorge Felippe, partidário do novo prefeito.

    Desenvolto na articulação política, Paes trouxe para seu secretariado nomes que vão do Novo ao PSB — no caso, os deputados estaduais Chicão Bulhões (Novo), que será secretário de Desenvolvimento Econômico; e Renan Ferreirinha (PSB), que vai dirigir a pasta da Educação.

    A perspectiva é a de que o novo prefeito tenha maioria ampla no legislativo carioca. O candidato da sua base aliada, o vereador Carlo Caiado (DEM), deve ser o único a concorrer a presidente da Câmara. Para lançar uma candidatura, a oposição precisaria possuir no mínimo 13 cadeiras, mas PSOL, PT e PDT somam apenas 11 vereadores.

    Secretários

    Lista de secretários escolhidos por Eduardo Paes.

    Ação Comunitária – Marli Peçanha
    Assistência Social e Direitos Humanos  – Laura Carneiro
    Ciência e Tecnologia – William Coelho, vereador do DC
    Conservação – Ana Laura Secco
    Cultura – Marcus Faustini
    Desenvolvimento Econômico, Inovação e Desburocratização – Chicão Bulhões, deputado estadual do Novo
    Desenvolvimento Sustentável e Meio Ambiente – Eduardo Cavalier
    Educação – Renan Ferreirinha, deputado estadual do PSB
    Esporte – Guilherme Schelder
    Fazenda e Planejamento – Pedro Paulo, deputado federal do DEM
    Governo e Integridade – Marcelo Calero, deputado federal do Cidadania
    Habitação – Fabio Dalmasso Coutinho
    Infraestrutura – Kátia Souza
    Juventude – Salvino Oliveira
    Mulher – Joyce Trindade
    Ordem Pública e Cidadania – Breno Carnevale
    Planejamento Urbano – Washington Fajardo
    Proteção Animal – Vinícius Cordeiro
    Terceira Idade – Júnior da Lucinha, vereador do PL
    Trabalho e Renda – Jorge Felippe Neto
    Turismo – Cristiano Beraldo
    Transporte – Maína Celidonio
    Saúde – Daniel Soranz