Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Partido de Bolsonaro e coligação de Lula lideram em número de candidatos

    Dados parciais apontam que PL é o partido com mais pedidos de registro; dentre os presidenciáveis, a coligação de Lula tem a maior quantidade de partidos e candidaturas

    Gabriela GhiraldelliSalma FreuaLuana Cataldida CNN

    em São Paulo

    O Partido Liberal, partido de Jair Bolsonaro, é a legenda com o maior número de candidatos nas eleições deste ano, são 1.578. Os dados parciais constam na plataforma Divulgacand, do Tribunal Superior Eleitoral, com base nos pedidos de registro até terça-feira (16). Segunda-feira (15) foi o último dia para os partidos registrarem seus candidatos.

    Em seguida, vêm União Brasil, com 1.492; Republicanos, com 1.423; MDB, com 1.359; e PP, com 1.324. Do outro lado, a Unidade Popular (UP) é a legenda que registrou menos candidaturas, 60.

    O partido com o maior número de candidaturas a governos estaduais é o PSOL, com 20.

    Nestas eleições, as siglas com mais candidatos a governador são PSOL, PSTU, PCO, PL e PT, com 20, 17, 15, 14 e 13, respectivamente. Avante e PC do B não apresentaram nenhum registro para o cargo. Cidadania e Rede têm um candidato, e o Patriota, dois.

    O PSOL também lidera em candidaturas ao Senado, com 20. Na sequência, vêm o PL, com 17; PSTU, com 14; PP, com 13; e PCO, também com 13. O Cidadania não registrou candidato a senador.

    Na disputa pela Câmara dos Deputados, o Republicanos lidera em número de candidaturas, com 518. O União Brasil é o segundo colocado, com 506 pedidos, e o PL 502. O PP teve 501 registros, e o Podemos, 489.

    O PL é o partido com o maior número de candidatos a deputado estadual, são 974 em todo o país. Em seguida, vêm o União Brasil com 911 e o Republicanos, com 858 registros. O MDB e o PDT também apresentaram alto índice de postulantes, com 809 e 767, respectivamente.

    Segundo Fernando Meirelles, cientista político da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), um dos motivos para o PL ter um alto número de candidaturas é a migração de bolsonaristas para a legenda, depois da filiação de Bolsonaro.

    “O PL é, por si só, uma legenda muito grande e, por ser uma legenda do Centrão, conseguiu se beneficiar do orçamento secreto e com fundo partidário, então tem recursos para lançar nomes competitivos. Mas o PL tem principalmente o fator Bolsonaro, de muita gente esperar que Bolsonaro vai conseguir levar junto consigo mais gente”, diz o cientista político.

    Coligações

    Luiz Inácio Lula da Silva (PT) é o candidato à Presidência com o maior número de candidatos em sua coligação, são 8.259. Ao todo, nove legendas apoiam o petista: PC do B e PV, que fazem parte da federação “Brasil da Esperança” junto com o PT, Solidariedade, PSOL, Rede, PSB, Agir, Avante e Pros.

    A senadora Simone Tebet (MDB) é a segunda no ranking. Ela tem a seu favor, além da sua sigla, a federação PSDB-Cidadania e o Podemos. A coligação registrou 3.933 candidaturas no total.

    Jair Bolsonaro, em terceiro lugar, tem o PP e o Republicanos ao seu lado; Junto com o PL, a coligação soma 4.325 registros.

    De acordo com Meirelles, com as novas regras de federação e do cálculo de sobra, “é uma boa estratégia” reunir um número menor de candidaturas, desde que elas tenham grande potencial de conquistar votos.

    “Digamos que é uma adaptação. O PT lança menos candidatos, mas em muitos estados são nomes competitivos de quem já foi candidato, já ocupou cargos executivos, Senado e Governo do Estado. É numa lógica também de privilegiar a disputa nacional, a presidência. E dentro dos Estados com os outros partidos conciliando interesses para as disputas regionais”, complementa.

    Evolução histórica

    O PL teve, esse ano, o maior número de inscritos desde o início da série histórica disponível no DivulgaCandContas. – 1.578, segundo os dados parciais de 2022. Isso representa um aumento de 381% em relação a 1994, quando o partido teve apenas 328 candidatos.

    Se comparado com os números de 2018, com 721 registros, o partido apresenta um crescimento de 118%. Logo atrás do PL, está o União Brasil – fusão do DEM com PSL, com 1.492 registros.

    Já o PT registrou 1.105 candidaturas para as eleições deste ano. Em 2002, ano em que Lula foi eleito presidente pela primeira vez, o partido teve o maior número de inscritos no TSE: 1.582.

    Uma queda significativa também foi registrada no PSDB, que apresentou o maior índice de candidaturas em 1998, com 1.282 pedidos. Desde 2018, esse número vem caindo – foi de 952 para 936 este ano. Já o MDB – antigo PMDB – se mantém nos primeiros lugares desde 1994. Para as eleições deste ano, a legenda tem 1.359 registros.

    Debate

    As emissoras CNN e SBT, o jornal O Estado de S. Paulo, a revista Veja, o portal Terra e a rádio NovaBrasilFM formaram um pool para realizar o debate entre os candidatos à Presidência da República, que acontecerá no dia 24 de setembro.

    O debate será transmitido ao vivo pela CNN na TV e por nossas plataformas digitais.

    Fotos — Os senadores em fim de mandato