‘Pazuello tem seriedade, mas está tolhido por Bolsonaro’, diz Flávio Dino

O governador do Maranhão relembra que Pazuello fechou acordo com os governadores, mas foi desautorizado por Bolsonaro

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), é um dos mais críticos líderes do governo Bolsonaro e voltou a condenar atitudes do presidente da República em relação a pandemia em entrevista para a CNN.

O governador lembrou que Bolsonaro chamou o novo coronavírus de “gripezinha” e disse que apesar de confiar no ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, tem dúvidas sobre a influência do presidente nas decisões dos órgãos de saúde do estado brasileiro.

Leia também

Precisamos da vacina que for aprovada primeiro, diz Wellington Dias

Brasil tem 2,4 médicos por mil habitantes, aponta estudo

Eficácia de vacina de Oxford não é confirmada para pessoas com mais de 55 anos

“O Ministro Pazuello tem seriedade, mas está tolhido pelas pressões de Bolsonaro, por isso acredito que Congresso e Supremo são as instâncias que vão trazer saídas para a má condução do presidente da República,” disse Dino.

“No dia 20 de outubro, fechamos o acordo dos governadores com o ministro da Saúde em torno do Plano Nacional de Imunização, que é o ideal. No dia seguinte, o presidente da República desautorizou o ministro e disse que o acordo não valia. Isso produziu um vazio e, por conta, disso os governadores se movimentaram individualmente.”

Flávio Dino (PCdoB), governador do Maranhão, em entrevista para a CNN (08.dec.20
Flávio Dino (PCdoB), governador do Maranhão, em entrevista para a CNN (08.dec.2020)
Foto: CNN Brasil

(Publicado por Sinara Peixoto)

Mais Recentes da CNN