Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    PF pede que STF prorrogue inquérito de senador flagrado com dinheiro na cueca

    Em outubro de 2020 foram apreendidos R$ 33 mil na cueca do senador Chico Rodrigues (União Brasil-RR)

    Senador Chico Rodrigues (DEM-RR)
    Senador Chico Rodrigues (DEM-RR) Foto: Jane de Araújo/Agência Senado (19.fev.2020)

    Gabriela CoelhoGabriel Hirabahasida CNN

    Brasília

    A Polícia Federal (PF) pediu ao Supremo Tribunal Federal para prorrogar o inquérito que apura o possível envolvimento dos senadores Chico Rodrigues (União Brasil-RR) e Telmário Mota (PROS-RR) em esquema de fraudes e desvio de verbas federais destinadas ao combate da pandemia de Covid-19 em Roraima.

    Segundo a PF, ainda estão pendentes de cumprimento as respostas às solicitações encaminhadas ao Ministério de Estado da Defesa e à Presidência da Câmara dos Deputados e, em momento posterior, as oitivas das pessoas indicadas pela Procuradoria-Geral da República. A PF reiterou os pedidos.

    “Dentre as diligências determinadas, apenas a Secretária de Estado da Saúde de Roraima e o núcleo de análise desta coordenação encaminharam as respostas”.

    O inquérito foi aberto, em setembro de 2020, para investigar possível fraude na aquisição de kits de testes rápidos para detecção da doença e irregularidades no processo de compra de centrais de ar condicionado para a maternidade de Rorainópolis (RR).

    Na ocasião, a Procuradoria-Geral da República (PGR) afirmou que os elementos obtidos demonstrariam o potencial envolvimento do senador em outubro de 2020, foram apreendidos R$ 33 mil na cueca do senador. com uma empresa que forneceu os kits de teste rápido para a detecção da covid-19, “havendo indícios de atuação do investigado no direcionamento da contratação à referida empresa”.

    A defesa de Rodrigues já pediu, em algumas oportunidades, o arquivamento do inquérito. O senador já negou ter cometido irregularidades e disse, em carta enviada aos colegas parlamentares, que, no caso do flagrante feito pela Polícia Federal (PF), agiu dominado “pelo pânico e pelo medo”.

    No dia da operação da Polícia Federal contra os investigados nesse caso, em outubro de 2020, foram apreendidos R$ 33 mil na cueca do senador. Após o flagrante e a repercussão negativa do caso, Rodrigues foi afastado do mandato no Senado por 121 dias, tendo retomado as atividades em 2021.

    Procurados, o Ministério da Defesa e a Câmara não se manifestaram.