PL quer lives semanais de Bolsonaro mais curtas e pesquisa para avaliar presidente

O partido encomendou pesquisas eleitorais e avalia que discurso do presidente contra a vacina tem prejudicado seu desempenho junto à população

Gustavo Uribeda CNN

em Brasília

Ouvir notícia

O PL pretende apresentar em fevereiro ao presidente Jair Bolsonaro um diagnóstico de seu desempenho eleitoral nas unidades federativas.

Segundo relatos feitos à CNN Brasil por três líderes do partido, a legenda encomendou pesquisas eleitorais para avaliar a opinião da população sobre o presidente.

Em conversas reservadas, dirigentes da sigla defendem que o mandatário faça lives semanais mais curtas, focadas em apenas três temas, evitando, assim, declarações polêmicas.

Nas palavras de um parlamentar do partido, o cenário das próximas eleições é diferente ao de 2018 e seria mais adequado, neste momento, que o presidente fosse mais comedido em suas declarações, assumindo uma postura mais presidencial.

O diagnóstico do partido, baseado em pesquisas eleitorais divulgadas até agora, é que o discurso do presidente contra a vacina, sobretudo de crianças de 7 a 11 anos, têm aumentado seus índices de rejeição.

Além disso, consideram que é o momento de o presidente abandonar a chamada pauta de costumes e priorizar um discurso econômico, com propostas para a redução dos índices inflacionários.

A pesquisa Quaest/Genial de intenção de voto para o primeiro turno das eleições presidenciais de 2022, divulgada na quarta-feira (12), mostrou o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na liderança com 45%, contra 23% do atual presidente, Jair Bolsonaro (PL).

No terceiro lugar, o ex-juiz Sergio Moro (Podemos) apareceu com 9% das intenções de voto, à frente de Ciro Gomes (PDT), com 5%. A pesquisa também mostrou a avaliação do atual governo.

Para 50%, a gestão é negativa. 25% classificaram como regular. 22% apontaram como positiva. 3% não responderam ou não souberam responder.

 

Mais Recentes da CNN