Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Polícia tem que saber diferenciar bandido de pobre, diz Lula sobre menino de 13 anos morto no RJ

    Presidente participou de evento no Rio de Janeiro para anúncio de investimentos em mobilidade urbana; Lula ofereceu apoio ao governo na segurança pública

    Lula participou de um evento na capital fluminense para anunciar investimentos do governo federal ao lado do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD)
    Lula participou de um evento na capital fluminense para anunciar investimentos do governo federal ao lado do prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD) PEDRO KIRILOS/ESTADÃO CONTEÚDO

    Léo Lopesda CNN

    em São Paulo

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) disse, nesta quinta-feira (10), que a polícia precisa saber diferenciar bandido de pobre, ao comentar a morte de um menino de 13 anos na Cidade de Deus, no Rio de Janeiro, que é investigada pelo Ministério Público.

    Lula participou de um evento na capital fluminense para anunciar investimentos do governo federal. Estiveram presentes também o prefeito do Rio de Janeiro, Eduardo Paes (PSD), e o governador do estado, Cláudio Castro (PL).

    Ao comentar a morte do adolescente Thiago Flausino, de 13 anos, durante uma ação da Polícia Militar (PM) na madrugada da última segunda-feira (7), Lula afirmou que ele foi “assassinado por um policial despreparado ou irresponsável”.

    O Conselho Nacional dos Direitos da Criança e do Adolescente (Conanda) questionou a ação da PM que resultou na morte de Thiago e aprovou elaboração de um documento com recomendações para evitar as ocorrências de letalidade policial.

    VÍDEO: Conselho questiona morte de adolescente em ação da PM no RJ

    “A gente não pode culpar a polícia, mas tem que dizer que um cidadão que atira em um menino que já estava caído é irresponsável e não estava preparado do ponto de vista psicológico para ser um policial”, disse Lula.

    De frente para Cláudio Castro, o presidente disse que o governo do Rio e o governo federal precisam criar condições da polícia ser eficaz e pronta para combater o crime. “Mas, ao mesmo tempo, a polícia tem que saber diferenciar o que é um bandido e o que é um pobre que anda na rua”, acrescentou.

    “Para isso, ela tem que estar bem informada. E eu não estou jogando a culpa em nenhum governador. O governo federal tem que assumir a responsabilidade de ajudar os governadores no combate à violência porque o crime organizado está tomando conta do país”, concluiu.

    Thiago Flausino, de 13 anos, morreu na Cidade de Deus, no Rio de Janeiro / Reprodução/Instagram

    Anúncio de investimentos

    Neste evento, no ginásio do Campo Grande Atlético Clube do Rio, foi anunciado um investimento do governo federal na mobilidade urbana do Rio, como a recuperação do sistema de ônibus BRT na capital fluminense e na construção do Anel Viário, no bairro de Campo Grande. O investimento total é de R$ 2,62 bilhões.

    “Para o BRT, os recursos serão voltados para a compra de cerca de 700 ônibus, para a requalificação do corredor Transoeste e a construção de terminais e garagens públicas. A previsão é que o Sistema BRT opere plenamente com seus quatro corredores com 100% dos ônibus em 2024”, informou o Palácio do Planalto em comunicado.

    “No bairro mais populoso do país, Campo Grande, com mais de 400 mil habitantes, a parceria vai garantir a implantação de um novo sistema viário. As novas rotas vão permitir o escoamento de tráfego na região central, reduzir o tempo de deslocamento e facilitar a circulação. O projeto inclui dois quilômetros de ciclovia”, acrescenta.

    Lula e o prefeito carioca Eduardo Paes participam, ainda nesta quinta, da primeira implosão para construção do Anel Viário, onde será feito um túnel sob o morro Luiz Bom.