Prefeito de Niterói pede que pessoas fiquem em casa durante megaferiado no RJ

Recesso de 10 dias começa nesta sexta-feira (26). Governador deixou restrições severas a cargo de municípios

Axel Grael (PDT) disse à CNN que a preocupação foi apresentada durante as negociações dos últimos dias com o governador Cláudio Castro
Axel Grael (PDT) disse à CNN que a preocupação foi apresentada durante as negociações dos últimos dias com o governador Cláudio Castro Foto: Reprodução/@axelgrael

Paula Martini, da CNN, no Rio de Janeiro

Ouvir notícia

O prefeito de Niterói, na Região Metropolitana do Rio, fez um apelo para que a população fique em casa durante o feriado prolongado no estado. Com o recesso de dez dias, várias prefeituras já adotaram medidas para impedir a entrada de turistas em cidades da Região dos Lagos e da serra fluminense. Axel Grael (PDT) disse à CNN que a preocupação foi apresentada durante as negociações dos últimos dias com o governador Cláudio Castro

“Um dos pontos de divergência foi com relação ao caráter de ‘feriadão’. Esse termo é ruim porque fica a impressão de que ‘liberou geral’, que está permitido passear, viajar e ir para o interior. Mas o que estamos pedindo é para que as pessoas façam um esforço de 10 dias e fiquem em casa”, explicou.

Os prefeitos do Rio, Eduardo Paes, e de Niterói se reuniram com Cláudio Castro ao menos duas vezes e pediram medidas mais severas para toda a Região Metropolitana no ‘superferiado’. Sem acordo, Paes e Grael decidiram fechar atividades não essenciais, praias e parques por 10 dias. Um dos pontos levantados pelos prefeitos foi a pressão dos hospitais por moradores de cidades vizinhas. Segundo Axel Grael, o comitê científico projetou um ‘colapso’ caso as restrições não fossem adotadas.  

“Pacientes de municípios menores são direcionados para cidades com estrutura maior como Rio e Niterói. Por isso deveríamos ter uma estratégia mais ampla para toda a Região Metropolitana. Sem coordenação nacional e estadual, vamos fazer nossa parte. Todo esforço tem que ser para que a gente não deixe de internar quem precisa”, afirmou.

Nesta quinta-feira (25), Cláudio Castro publicou um decreto que garante a validade das regras que forem mais duras no caso de divergência entre estado e municípios. Durante a semana, o governador sinalizou que não permitiria que prefeitos fechassem bares e restaurantes, mas acabou recuando. 

O texto também prevê o fechamento total das praias do estado, medida que já havia sido anunciada no Rio e em Niterói. Prefeituras da Região dos Lagos, como Búzios, Saquarema e Cabo Frio, também se anteciparam com medo da migração de cariocas e niteroienses para as cidades litorâneas.

Mais Recentes da CNN