Presidente do TSE, Barroso sinaliza com mudanças no sistema de votação para 2022

Luís Roberto Barroso falou sobre o projeto Eleições do Futuro na manhã deste domingo (15)

Da CNN

Ouvir notícia

 

O ministro Luís Roberto Barroso, presidente do Tribunal Superior Eleitoral, sinalizou com mudanças no sistema de votação ao comentar o projeto Eleições do Futuro. Em resposta aos jornalistas neste domingo (15), Barroso disse que há a possibilidade do país adotar “eleições digitais” já em 2022.

Acompanhe a apuração dos votos em todas as cidades do Brasil em tempo real

“Temos, desde 1996, urnas eletrônicas que funcionam muito bem do ponto de vista de confiabilidade do resultado. (…)  A aplicabilidade ou não de um novo modelo [eleitoral] em 2022 vai depender da segurança que possamos ter com as alternativas oferecidas. Nós temos um teste triplo: segurança, sigilo e eficiência. Se algum dos modelos se mostrar confiável, imagino que sim, já possamos implantar em 2022”, disse.

O projeto Eleições do Futuro começou estudos sobre uma eventual implementação de novas tecnologias ao sistema eletrônico de votação. Em outubro, o TSE informou que mais de 30 empresas manifestaram interesse de apresentar soluções para inovar o sistema eleitoral brasileiro.

Leia também:

E-Título deu problema? Veja outras formas de justificar o voto nestas eleições
Tentativa de ataque foi neutralizada pelo TSE e operadoras, diz Barroso

Barroso defendeu a lisura do processo eleitoral e reforçou a confiabilidade das urnas eletrônicas, citando que a adoção de um novo modelo para as eleições no Brasil seria apenas uma modernização.

“Sobre mudar para um sistema digital, é preciso ter em conta que hoje se fazem transações bancárias de milhões de reais ou dólares por aplicativo. Portanto, é só uma questão de se estabelecer os mecanismos adequados de segurança”, completou.

Luís Roberto Barroso
Luís Roberto Barroso, presidente do TSE, falou com jornalista na manhã deste domingo (15.nov.2020)
Foto: CNN Brasil

(Publicado por Leonardo Lellis)

Mais Recentes da CNN