Presidente Jair Bolsonaro é alvo de cinco inquéritos no STF

Chefe do Executivo não compareceu ao depoimento na Polícia Federal nesta sexta-feira (28) sobre a investigação que apura um vazamento de dados do TSE

Presidente Jair Bolsonaro
Presidente Jair Bolsonaro 07/12/2021REUTERS/Adriano Machado

Iuri Pitta

Ouvir notícia

O presidente Jair Bolsonaro (PL) é alvo, até o momento, de cinco inquéritos no Supremo Tribunal Federal (STF). Quatro deles são de relatoria do ministro Alexandre de Moraes e um da ministra Rosa Weber.

INQ 4888: Bolsonaro virou alvo de um inquérito por fazer uma associação ao risco de contrair o vírus HIV e o desenvolvimento da Aids à vacina contra a Covid-19 após pedido realizado pela CPI da Pandemia, em 3 de dezembro do ano passado. A afirmação foi feita em uma transmissão ao vivo em suas redes sociais, em 21 de outubro. A relatoria do caso é de Moraes.

INQ 4878: Bolsonaro virou alvo do inquérito por divulgar, em uma entrevista à Rádio Jovem Pan ao lado do deputado federal Filipe Barros (PSL-PR), em 13 de agosto do ano passado, documentos sigilosos sobre uma suposta invasão a sistemas e bancos de dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE). A relatoria é do caso é de Moraes.

O chefe do Executivo não compareceu à Polícia Federal para prestar depoimento sobre o caso nesta sexta-feira (28) após decisão de Moraes. O magistrado não reconheceu o agravo apresentado pela Advocacia-Geral da União (AGU) e manteve o depoimento de Bolsonaro. Ele declarou que quando a ação foi protocolada não estava de acordo com os termos da lei.

INQ 4878: Bolsonaro virou alvo do inquérito que apura sua conduta no caso da negociação para a aquisição da vacina Covaxin. A investigação solicitada pela Procuradoria-Geral da República (PGR), apura se o presidente cometeu prevaricação e não tomou as medidas cabíveis diante da denúncia de supostas irregularidades no processo de aquisição das vacinas. A relatoria do caso é de Weber.

INQ 4831: Bolsonaro virou alvo do inquérito que apura uma possível interferência política na Polícia Federal para beneficiar familiares e aliados políticos, em abril de 2020. Em 7 de janeiro deste ano a ação foi prorrogada por mais 90 dias pelo relator Moraes.

INQ 4781: Bolsonaro foi incluído em agosto do ano passado no inquérito das fake news após o Tribunal Superior Eleitoral (TSE) encaminhar uma notícia-crime à Corte contra o presidente da República por propagação de notícias falsas sobre a urna eletrônica. A relatoria do caso é de Moraes.

 

 

 

Mais Recentes da CNN