Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Presidente português se encontra com Lula, Temer e FHC

    Jair Bolsonaro cancelou almoço depois de saber que Marcelo Rebelo de Sousa também iria ver o ex-presidente petista

    Matheus Meirellesda CNN

    em São Paulo

    Ouvir notícia

    O presidente de Portugal, Marcelo Rebelo de Sousa, concluiu, nesta segunda-feira (4), sua visita ao Brasil. Ele se reuniu com três ex-chefes de estado, mas voltou sem ser recebido pelo presidente Jair Bolsonaro (PL).

    O último compromisso de Rebelo de Sousa no Brasil foi o encontro com o ex-presidente Fernando Henrique Cardoso (PSDB). Ao falar do objetivo da visita, o presidente português não escondeu a admiração por FHC.

    “Primeiro matar saudade de um amigo. De um grande amigo. Saber do estado de saúde. Depois ouvi-lo sobre o mundo, é tão, tão profundo”, afirmou Rebelo de Sousa.

    Mais cedo, o presidente português foi recebido por outro ex-presidente: Michel Temer (MDB). Os dois já tinham se encontrado em Portugal, em 2017, quando Temer chefiava o Executivo brasileiro.

    No fim de semana, ele ainda esteve com o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT), pré-candidato à Presidência da República.

    Em todas as conversas, Rebelo de Sousa tocou num mesmo tema: a guerra na Ucrânia e as consequências do conflito para Portugal e Brasil. Mas apesar da urgência do assunto, ele não se encontrou justamente com o atual mandatário. Bolsonaro cancelou o almoço que já estava marcado, depois de saber que Rebelo de Sousa também iria ver Lula.

    No ano passado, Bolsonaro recebeu o mandatário português no Palácio do Planalto. Mas a CNN apurou que desta vez a diplomacia brasileira classificou como um equívoco a intenção do presidente português de se encontrar com um adversário de Bolsonaro em pleno período pré-eleitoral.

    Para Leonardo Trevisan, professor de Relações Internacionais da ESPM, “não há uma deselegância, porque ele não é um chefe de governo, ele é um chefe de Estado, são coisas diferentes. Seria deselegante se ele evitasse um contato com Temer e Fernando Henrique e priorizasse Lula por questões eleitorais, não foi disso que se tratou”.

    O português reforçou que, independentemente do resultado das eleições presidenciais de outubro, nada muda na relação com o Brasil. “A situação do mundo ultrapassa agora a questão de saber se é a se é ‘a’, ‘b’, se é ‘c’ nos vários países, é um problema objetivamente complexo este.”

    O presidente português está no segundo mandato, tem perfil de centro-direita e uma visão liberal na economia. Mesmo assim, mantém bom diálogo com o primeiro-ministro, o socialista António Costa. Rebelo de Sousa pretende voltar ao Brasil em setembro para as comemorações do Bicentenário da Independência Brasileira, quando deve se encontrar com Bolsonaro.

    “Almoço que não se faz agora, se faz em setembro. Nós em Portugal temos um ditado, que diz Deus escreve direito por linhas tortas. Portanto, isso tudo vai estar direito, porque o que interessa é que dê bem para o povo brasileiro e bem para o povo português, isso é fundamental”, finalizou Rebelo de Sousa.

    Segundo Trevisan, “é evidente que a situação mais desagradável ficou para o presidente brasileiro, que de certa forma se negou a cumprir um ritual diplomático que é presente em qualquer parte do mundo”.

    Debate

    CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

    Veja os possíveis candidatos à Presidência da República em 2022

    Mais Recentes da CNN