Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Primeiras viagens internacionais de Lula serão para Argentina, EUA, Portugal e China

    Informação foi confirmada ela Presidência da República, mas as datas ainda não foram definidas

    Teo Curyda CNN

    Em Brasília

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) fará sua primeira viagem internacional deste governo para a Argentina no fim de janeiro. Na sequência, deverá ir para Estados Unidos, Portugal e China. A informação foi confirmada pela Presidência da República. As datas destas últimas três visitas, no entanto, ainda não foram definidas.

    O presidente vai participar da cúpula da Comunidade de Estados Latino-Americanos e Caribenhos (Celac), um dos principais blocos de debates políticos da região. O encontro acontece em Buenos Aires, na Argentina, no dia 24 de janeiro. O convite informal foi feito pelo presidente argentino Alberto Fernández durante encontro com Lula em São Paulo após o segundo turno.

    Criado no final de seu governo, o grupo é formado por 33 países e tem o objetivo de fomentar a cooperação para o desenvolvimento e a concertação política. O governo Jair Bolsonaro (PL) suspendeu sua participação na Celac em janeiro de 2020.

    Lula quer priorizar a reaproximação com lideranças estrangeiras durante o primeiro ano de governo, algo que já vem fazendo desde que venceu as eleições no fim de outubro. Desde então, Lula viajou para o Egito, para a Conferência das Nações Unidas sobre Mudanças Climáticas (COP27), e para Portugal.

    A ideia é que o presidente faça um giro internacional logo nos primeiros meses de gestão. Após viajar para a Argentina, Lula deverá se reunir com o presidente dos Estados Unidos Joe Biden em Washington. A viagem ainda não tem data definida.

    O presidente também é esperado em Portugal entre os dias 22 e 25 de abril. Lula vai se reunir com o presidente do país, Marcelo Rebelo de Sousa, participar da cerimônia que marca o Dia da Liberdade, em 25 de abril, e acompanhar a entrega do Prêmio Camões, principal troféu literário da língua portuguesa, a Chico Buarque e outros escritores.

    O escritor, cantor e compositor venceu o prêmio em 2019. A entrega do prêmio chegou a ser marcada para abril de 2020, mas foi adiada por conta da pandemia de covid-19. O diploma do prêmio é assinado tradicionalmente pelos presidentes de Portugal e do Brasil. Na época, o então presidente Jair Bolsonaro se recusou a assinar o diploma.

    Ainda de acordo com a Presidência da República, Lula deve viajar para a China após o mês de março. A data ainda não foi marcada.

    O presidente foi convidado em novembro para participar do Fórum Econômico Mundial em Davos, na Suíça, que acontece no fim de janeiro, mas deve ser representado na viagem pelo ministro da Fazenda, Fernando Haddad (PT).