Procurador-geral da República vive ‘clima ruim’ entre ministros do Supremo

Augusto Aras pediu ao STF que uma investigação sobre o ministro do Meio Ambiente passasse de Alexandre de Moraes para Cármen Lúcia

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

O clima no STF (Supremo Tribunal Federal) está muito ruim para o procurador-geral da República, Augusto Aras. As informações são da âncora da CNN Daniela Lima.

Conforme informou a analista da CNN Thais Arbex, a Procuradoria-Geral da República (PGR) tentou afastar o ministro Alexandre de Moraes, do STF, do caso que investiga o ministro do Meio Ambiente, Ricardo Salles, e a cúpula da pasta, incluindo o presidente do Ibama, em crimes contra a administração pública praticados por agentes públicos e empresários do ramo madeireiro.

No STF, o entendimento é que Aras tem manifestado uma série de atitudes interpretadas pelos ministros como complacentes com integrantes do governo Jair Bolsonaro (sem partido), pois ele não deu parecer sobre casos importantes, como, por exemplo, o que investiga os atos anti-democráticos.

A PGR pediu ao STF que a investigação sobre Salles passasse de Moraes para a ministra Cármen Lúcia, que tem sob sua responsabilidade outros processos contra o ministro do Meio Ambiente.

Moraes rebateu que isso não tem importância, já que os casos apuram situações diferentes e esse ficará com ele por conta da precedência.

Aliados de Aras dizem que a resistência de Alexandre de Moares em abrir mão do caso contra Ricardo Salles tem a ver com disputa interna no Supremo; ou seja, estariam tentando afastar a PGR desse embate.

O procurador-geral da República, Augusto Aras
O procurador-geral da República, Augusto Aras
Foto: Marcos Corrêa/PR (27.ago.2020)

Mais Recentes da CNN