Eleições 2022

PSDB firma aliança para dar palanque a Ciro Gomes em MG, diz pré-candidato ao governo

O tucano Marcus Pestana disse que fará campanha ao lado do pedetista no estado

O pré-candidato à Presidência Ciro Gomes
O pré-candidato à Presidência Ciro Gomes Marcelo Camargo/Agência Brasil

Luciana AmaralLarissa Rodriguesda CNN

em Brasília

Com a interlocução de Aécio Neves, o PSDB firmou uma aliança com o PDT para dar palanque ao presidenciável Ciro Gomes (PDT) em Minas Gerais. O pré-candidato do PSDB ao governo do Estado, Marcus Pestana, afirmou à CNN que a aliança está selada e disse que fará campanha ao lado do pedetista.

“O PSDB definiu que vai apoiar o Ciro em Minas Gerais. Nós fechamos uma aliança e vamos apoiar o Ciro, porque sempre defendemos a terceira via”, declarou à reportagem.

A articulação foi capitaneada pelos deputados federais Aécio Neves (PSDB-MG), Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), Mario Heringer (PDT-MG) e o presidente nacional do PDT, Carlos Lupi.

Nacionalmente, o PSDB deve apoiar a pré-candidata do MDB à Presidência, senadora Simone Tebet. O caso de Minas não é isolado entre tucanos. Candidatos a demais governos de Estado já manifestaram apoio a presidenciáveis de outras legendas. Os pré-candidatos do PSDB ao governo do Rio Grande do Sul e de São Paulo, Eduardo Leite e Rodrigo Garcia, respectivamente, declararam apoio a Luciano Bivar (União Brasil), por exemplo.

Na avaliação de Pestana, Ciro Gomes é o único candidato que pode romper a polarização entre o atual presidente da República, Jair Bolsonaro (PL), e o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) na corrida ao Palácio do Planalto.

O tucano disse ter confiança de que, até 7 de setembro, o pedetista pode chegar aos 15% nas pesquisas de intenção de voto para então tentar passar ao segundo turno do pleito. Ciro tem aparecido em terceiro lugar nas pesquisas, mas sem se firmar na casa de dois dígitos, considerada a margem de erro.

Nesta quarta-feira (20), o PDT homologou, por unanimidade, a candidatura de Ciro Gomes à Presidência. A oficialização ocorreu durante a convenção nacional da legenda, em Brasília.

A jornalistas, Carlos Lupi também confirmou o acordo entre o PDT e PSDB em Minas. A expectativa é que a aliança seja ratificada até 5 de agosto, último dia para as convenções partidárias, de acordo com a lei eleitoral.

No Estado, até o momento, a disputa ao governo está concentrada no atual governador Romeu Zema (Novo) e o ex-prefeito de Belo Horizonte Alexandre Kalil (PSD). Pestana aparece a partir do terceiro lugar para trás, a depender da pesquisa.

Em princípio, a vaga na disputa ao Senado na aliança deve ficar com o PDT. Um dos nomes cotados é o do vereador de Belo Horizonte Bruno Miranda (PDT).

Minas Gerais é o segundo maior colégio eleitoral do país, com 10,41% do total de eleitores, de acordo com o Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Fica atrás apenas de São Paulo, com 22,16% dos eleitores.

Em Minas, o MDB deve apoiar a campanha de Romeu Zema à reeleição, embora tenha chegado a conversar com o PSDB.

Debate

CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.