Ramos depõe à PF sobre participação de servidor em live de Bolsonaro

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência foi ouvido por cerca de quatro horas

Mathias Broteroda CNN

Brasília

Ouvir notícia

O ministro da Secretaria-Geral da Presidência, Luiz Eduardo Ramos, prestou depoimento à Polícia Federal (PF) nesta segunda-feira (30). Ele foi ouvido pelos agentes por cerca de quatro horas e na condição de testemunha.

 

 

De acordo com apuração do analista da CNN Gustavo Uribe, havia a expectativa de que Ramos falasse que a participação do servidor da Casa Civil Eduardo Gomes da Silva na live semanal do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) tratou-se de um plano B. Ele foi apresentado pelo chefe do Executivo como “analista de inteligência”.

De acordo com relatos feitos à CNN por assessores e aliados do general da reserva, a ideia original era de que um especialista em segurança digital participasse da transmissão online na qual Bolsonaro criticou as urnas eletrônicas e disse que apresentaria provas de fraude, o que não fez.

Como o profissional decidiu não comparecer, o então ministro da Casa Civil Luiz Eduardo Ramos teria indicado Silva, que é coronel da reserva, ao presidente.

Agora, a PF deve elaborar um relatório que será encaminhado ao ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Alexandre de Moraes, que é o relator do inquérito das fake news.

Mais Recentes da CNN