Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Relatório da CPI do MST vai pedir indiciamento de 10 pessoas e mostrar trabalho escravo”, diz Salles à CNN

    Nome de deputado do PT está entre os prováveis indiciados, segundo o relator da Comissão Parlamentar de Inquérito

    O deputado Ricardo Salles é o relator da CPI do MST
    O deputado Ricardo Salles é o relator da CPI do MST Bruno Spada/Câmara dos Deputados

    Pedro Venceslauda CNN

    São Paulo

    O relatório da Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) do Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem-Terra (MST) vai pedir o indiciamento de dez pessoas. Entre elas, está um deputado petista.

    A informação foi dada à CNN pelo deputado federal Ricardo Salles (PL-SP), relato da CPI.

    VÍDEO – Relatório final da CPI do MST não deve ser aprovado

    Deverão ser indiciados, por exemplo:

    • o deputado federal Valmir Assunção (PT-SB),
    • o líder do MST, José Rainha
    • e o presidente do Instituto de Terras da Reforma Agrária de Alagoas, Jaime Silva.

    Ainda há dúvidas se o relatório será aprovado e a base governista deve apresentar um documento paralelo.

    “Apuramos de maneira irrefutável que existe uma gama de crimes muito graves dos líderes sobre os liderados. Até a nomenclatura que eles usam se assemelha a do tráfico nas favelas. Eles soltam rojão quando a polícia chega”, disse o deputado.

    Ainda segundo o relatório, há “trabalho escravo evidente” nos assentamentos dos movimentos sem terra. “A novidade desta CPI em relação às outras do MST é que existe outra face: os abusos e arbitrariedades das lideranças sobre os liderados, que se autodenominam massa de manobra”, disse.

    Foi combinado com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), que o relatório de Salles será apresentado no próximo dia 21 e votado no dia 26.

    “Quando uma CPI indicia um parlamentar, obrigatoriamente o Conselho de Ética da Casa tem que instalar um processo de cassação”, disse Salles sobre o deputado do PT, que é ligado ao MST.