Relembre os fatos e declarações mais importantes da CPI da Pandemia

Confira os principais fatos dos dias de sessão da CPI da Pandemia no Senado

Senadores Randolfe Rodrigues, Omar Aziz e Renan Calheiros
Senadores Randolfe Rodrigues, Omar Aziz e Renan Calheiros Foto: Pedro França/Agência Senado

Renato Barcellos, da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Pandemia recebeu nesta sexta-feira (18) os médicos Ricardo Ariel Zimerman e Francisco Eduardo Cardoso Alves. 

Além da ampla defesa do chamado “tratamento precoce”, a sessão foi marcada pelo abandono de alguns parlamentares. O relator da CPI, senador Renan Calheiros (MDB-AL), se recusou a fazer perguntas aos médicos e se retirou da sessão.

Além do relator, o vice-presidente da CPI, Randolfe Rodrigues (Rede-AP), e o senador Humberto Costa (PT-PE) também deixaram a sessão.

Para esta quinta (17) estava prevista a oitiva com o empresário Carlos Wizard e com o auditor do Tribunal de Contas da União (TCU) Alexandre Figueiredo. A sessão, no entanto, não aconteceu, 

A sessão foi suspensa porque Wizard, que alegou estar nos Estados Unidos, não compareceu ao Senado, e porque Marques obteve no Supremo Tribunal Federal (STF) o direito de ficar calado. Além disso, estava prevista para 10h, no Plenário do Senado, a votação da Medida Provisória que permite ao governo privatizar a Eletrobras – o que forçaria a interrupção da CPI.

Na última quarta-feira (16) foi a vez do ex-governador do Rio de Janeiro Wilson Witzel. Amparado por um habeas corpus — concedido pelo ministro Nunes Marques do STF –, o ex-juiz federal deixou a sessão cerca de cinco horas após o início.

Terça-feira (15), durante a 20ª sessão da CPI, os parlamentares ouviram o ex-secretário de Saúde do Amazonas, Marcellus Campêlo

Nos dias anteriores de oitivas, a CPI já ouviu outros 16 personagens:

Relembre os principais destaques das seis primeiras semanas da CPI:

 

 

Mais Recentes da CNN