Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Tarcísio diz ser contra Republicanos na base de Lula: “Não gostaria de ver”

    Partido do governador de São Paulo, aliado de Jair Bolsonaro, pode receber ministérios em eventual reforma na Esplanada em troca de mais apoio ao governo federal no Congresso

    Governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos)
    Governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas (Republicanos) RONALDO SILVA/PHOTOPRESS/ESTADÃO CONTEÚDO

    Bruno Luiz, do Estadão Conteúdo

    O governador de São Paulo, Tarcísio de Freitas, afirmou na quarta-feira (9) que é contra o possível ingresso do Republicanos, seu partido, na base do presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

    “Sou contra. Não gostaria de ver o meu partido fazendo parte da base do governo”, respondeu, de forma sucinta, ao ser questionado por jornalistas sobre o assunto durante entrevista coletiva nesta noite. Tarcísio afirmou ainda que vai avaliar a questão junto ao partido.

    Aliado político do ex-presidente Jair Bolsonaro (PL), o governador é oposição ao governo Lula, embora mantenha relação cordial com o presidente.

    Veja também: Tarcísio de Freitas descarta candidatura à Presidência em 2026

    Tarcísio foi um dos principais articuladores do apoio à reforma tributária na Câmara dos Deputados, à revelia de Bolsonaro, em interlocução direta com o ministro da Fazenda, Fernando Haddad.

    Segundo o ministro das Relações Institucionais, Alexandre Padilha, o presidente da República já decidiu incorporar PP e Republicanos ao governo.

    A expectativa é de que a escolha dos deputados federais André Fufuca (PP-MA) e Sílvio Costa Filho (Republicanos-PE) para assumir ministérios ajude na construção de uma base de apoio no Congresso.

    Lula deve retomar as conversas com o partido depois de voltar da viagem ao Norte do país.