Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Militantes do PT e Rodrigo Amorim registram queixas entre si no Rio

    Após os apoiadores do PT alegarem agressão e ameaças por parte do deputado estadual e seus assessores, Amorim alegou injúria e difamação

    Da CNN Brasil

    O encontro entre militantes do Partido dos Trabalhadores (PT) e o deputado estadual Rodrigo Amorim (PTB) na manhã deste sábado (16), no Rio de Janeiro, rendeu duas queixas na 19ª Delegacia de Polícia da Barra da Tijuca.

    Após os apoiadores do PT alegarem agressão e ameaças por parte de Amorim e dos assessores que o acompanhavam, Amorim também registrou uma queixa por injúria e difamação.

    Segundo o boletim, o deputado estava se dirigindo para uma pré-convenção do PTB, cujo local de encontro com a sua equipe era na Praça Saens Peña, quando se deparou com “a campanha antecipada do deputado Marcelo Freixo”.

    “Nesse momento, militantes de esquerda começaram a atacar o denunciante, proferindo ofensas contra a sua pessoa e família. Informa ainda que o deputado Marcelo Freixo estava com escolta armada, sendo esta alvo de CPI na ALERJ”, diz o documento. Amorim não informou quem teria sido o autor das ofensas.

    De acordo com a assessoria de Marcelo Freixo, o caso foi encaminhado para a Justiça Eleitoral.

    O deputado federal e pré-candidato também se pronunciou mais cedo. “Fomos surpreendidos por um deputado ligado ao governador Claudio Castro e ao presidente Jair Bolsonaro. Ele estava acompanhado de dez marginais armados, que foram para cima das pessoas, crianças, mulheres, idosos, com muita violência, ameaçando e dizendo que ali não era lugar para que a gente estivesse”, contou em vídeo divulgado por sua assessoria.

    “É lamentável que isso tenha acontecido. Encaminhamos todos os boletins de ocorrência para a Justiça Eleitoral e temos certeza que as medidas corretas serão tomadas, por um Rio de união e de diálogo”, acrescentou.

    A assessoria do deputado Rodrigo Amorim nega que tenha havido algum episódio de violência física no local. O parlamentar teria se encontrado com apoiadores na Praça Saens Peña para seguir a um evento do PTB em São Cristóvão, bairro próximo, quando “uma equipe do deputado Marcelo Freixo teria começado a ofender as famílias do parlamentar estadual e do presidente da República”.

    Em nota, o Partido Trabalhista Brasileiro (PTB) afirma que “repudia qualquer tipo de violência e acredita na versão do deputado estadual pelo RJ, Rodrigo Amorim, de que, ao passar pelo local, ele e sua família foram hostilizados pelo deputado federal pelo RJ, Marcelo Freixo, e seus seguidores, os quais, infelizmente, não se cansam de ofender qualquer um que apoie o presidente da República, Jair Bolsonaro”.

    A CNN apurou mais cedo com a Secretaria Estadual de Polícia Civil, que os depoimentos dos envolvidos foram colhidos e o procedimento será encaminhado à Coordenadoria de Investigações de Agentes com Foro (Ciaf),que possui atribuição para dar seguimento a este tipo de investigação.

    O Tribunal Regional Eleitoral (TRE-RJ) informou que atua apenas para impedir a continuidade das irregularidades.

    Para o órgão, o assunto seria responsabilidade da procuradoria regional eleitoral, representada pelo Ministério Público Federal (MPF), que ainda não se manifestou.

    Rodrigo Amorim se tornou conhecido na campanha eleitoral de 2018 ao quebrar uma placa com o nome da ex-vereadora Marielle Franco (PSOL) durante ato realizado em Petrópolis, Região Serrana.

    Na ocasião, estava ao lado do atual deputado federal Daniel Silveira, então postulante ao cargo, e de Wilson Witzel, que concorria ao governo do estado. Os três acabariam eleitos.

    Com 140 mil votos, Amorim foi o deputado estadual mais votado do Rio de Janeiro naquele pleito.

    *Com informações de Filipe Brasil.