Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Saiba o que é a zerésima e qual sua importância para a segurança da votação?

    Processo de emissão do documento é fundamental para a garantia da transparência e evitar fraudes no processo eleitoral

    Convidados internacionais acompanham zerésima e início da votação em zona eleitoral de Goiânia
    Convidados internacionais acompanham zerésima e início da votação em zona eleitoral de Goiânia 02/10/2016 - Roberto Jayme/Ascom/TSE

    Manoela Carluccida CNN*

    São Paulo

    Todo ano eleitoral, antes do início do primeiro turno é realizado um processo para que a votação ocorra de forma segura.

    Esse procedimento é chamado de emissão da zerésima.

    Como funciona?

    Antes de o primeiro eleitor registrar o seu voto na urna, o presidente da mesa receptora já deve ter ligado o equipamento. Isso deve ser feito na presença de mesários e fiscais dos partidos políticos para emitir a zerésima.

    O documento contém toda a identificação da urna e comprova que nada tenha sido registrado nela antes do início da votação. Ou seja, que não haja nenhum voto computado de maneira ilegal.

    Depois da emissão da zerésima, todos os mesários, o presidente da seção eleitoral e os fiscais deverão assiná-la. Só, então, a votação pode ser iniciada.

    O resumo do documento pode ser acessado por qualquer eleitor, uma vez que ele deve ser afixado em lugar visível.

    A zerésima é segura?

    A emissão deste documento é uma das etapas de todo o processo de segurança do período eleitoral.  A operação não tem como receber nenhuma interferência manual, uma vez que ele é automaticamente gerado pela urna.

    Além disso, o processo é acompanhado por mesários e fiscais, o que ajuda na seguridade da emissão.

    Qual é a importância da zerésima?

    A impressão do relatório serve para comprovar que a urna está de fato “zerada” antes do início  da votação. Dessa forma ajuda a garantir a transparência da votação.

    Esse é um processo de extrema importância para verificação do funcionamento da urna eletrônica e evitar fraudes.

    Além dessa etapa, a urna passa por uma série de outras auditorias que tem também este objetivo de evitar fraudes, garantir o sigilo do voto e manter a transparência do processo eleitoral.

    Com ela e uma série de outros documentos é que é possível realizar a contagem de votos ao final do turno.

    No final da votação, os presidentes das seções eleitorais devem digitar a senha que fecha a urna e impede o recebimento de mais votos. Neste momento, são impressos cinco boletins de urnas, que contabilizam todos os votos recebidos pelo equipamento.

    Não emitir estes boletins é considerado crime pelo Código Eleitoral, menos em casos de defeitos na urna.