Senado pode ser obstáculo em agenda reformista do governo

Crise institucional entre Palácio do Planalto e Senado pode barrar reformas importantes

Presidente do Senado Federal, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG)
Presidente do Senado Federal, senador Rodrigo Pacheco (DEM-MG) Marcos Oliveira/Agência Senado

Da CNN

em São Paulo

Ouvir notícia

Os próximos passos da reforma tributária dependem do Senado Federal, uma vez que o texto ainda deve passar pela casa. Entretanto, uma crise institucional entre Palácio do Planalto e Senado pode barrar as reformas governistas, segundo os analistas da CNN Thais Arbex, Caio Junqueira e Raquel Landim.

A ala política do governo detectou desde a noite de quarta-feira (1º), quando o Senado derrotou a Medida Provisória que reformulava a legislação trabalhista, um princípio do que pode vir a ser uma rebelião na casa comandada pelo presidente Rodrigo Pacheco (DEM-MG) e tendo apoio, inclusive, de integrantes da base aliada, avalia o analista de política da CNN Caio Junqueira.

Nos bastidores, líderes partidários calculam que, hoje, seriam apenas 14 dos 81 senadores os realmente fiéis ao Planalto, afirma Thais Arbex. A analista acrescenta que os senadores querem passar o recado que não estão ali apenas para ser uma casa carimbadora, e que não estão dispostos a levarem reformas adiante.

Informações obtidas com senadores pela analista, indicam que a Reforma do Imposto de Renda já surgiu no Senado Federal com chances nulas de prosperar. Além disso, nos bastidores a informação é de o projeto de privatização dos Correios também não deve avançar.

Assista a análise completa no vídeo acima.

(Publicado por Anna Gabriela Costa)

Mais Recentes da CNN