Senador Jorginho Mello: Não vejo necessidade de criação de ‘CPI da Rachadinha’

Segundo o parlamentar, criação de uma nova comissão teria apenas o objetivo de 'enredar o presidente’

Produzido por Basília Rodrigues, da CNN, em Brasília

Ouvir notícia

O senador Jorginho Mello (PL-SC), membro titular da CPI da Pandemia, afirmou à CNN que não há necessidade de se criar uma nova comissão de inquérito para apurar as suspeitas de esquema de “rachadinha” do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) enquanto exercia o cargo de deputado federal.

Segundo o parlamentar, uma nova CPI teria apenas o objetivo de “enredar o presidente”. “Não dá para viver criando uma CPI por qualquer motivo. Não vejo necessidade de criação dessa CPI, pois é coisa do passado”, disse Mello, nesta terça-feira (6), antes do depoimento da servidora Regina Célia Silva Oliveira, fiscal de contratos no Ministério da Saúde.

Mello afirmou que “não há clima” no Senado para a instauração de uma comissão paralela à da Pandemia. “Senão, vamos desmoralizando a CPI. Isso não ajuda em nada.”

Relator da CPI da Pandemia, o senador Renan Calheiros (MDB-AL) afirmou que é “fundamental” a convocação da ex-cunhada de Bolsonaro, Andrea Siqueira Valle.

A declaração ocorreu após uma série de reportagens do UOL, publicada na segunda-feira (5), que traz diversos áudios — incluindo gravações de Andrea — indicando que o atual presidente da República participava diretamente de um suposto esquema de “rachadinha” enquanto deputado federal.

Para Jorginho Mello, Calheiros “é bem inteligente para saber que não dá para puxar coisa de lá de trás”. “É um assunto que não tem nada a ver com a CPI [da Pandemia]. Não podemos misturar, senão vai ser a CPI  do fim do mundo”, disse. “Não tem nada a ver uma coisa com a outra, pois, senão temos que puxar coisa dele [Renan]”. 

senador Jorginho Mello (PL-SC)
Senador Jorginho Mello (PL-SC) criticou possibilidade de criação da CPI da Rachadinha
Foto: CNN Brasil (6.jul.2021)

 

Mais Recentes da CNN