Sidney Rezende: É muito difícil ‘superpedido’ de impeachment avançar

No quadro Liberdade de Opinião, jornalista analisou entrega de documento à Câmara dos Deputados

Da CNN, em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro Liberdade de Opinião desta quinta-feira (1º), Sidney Rezende falou sobre o “superpedido” de impeachment. Parlamentares e partidos de várias correntes políticas e dezenas de entidades da sociedade civil entregaram o documento que pede a destituição do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) à Câmara dos Deputados.

Para o pedido seguir no Congresso, o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), precisa aprovar. Na quarta-feira (30), Lira afirmou que não faz “impeachment como ação política”.

“Vamos ser realistas. Primeiro: o deputado Arthur Lira fará de tudo para não colocar isso em andamento. Se colocar, haverá a necessidade de 342 deputados entenderem que o processo de impeachment deve seguir para o Senado. É muito difícil se reunir esse número nesse preciso momento. Não é realista agora”, avaliou Rezende.

“Também penso que foi numa hora errada e um pouco improvisado. [No evento após a entrega do ‘superpedido’], toda hora que um líder falava os demais atrás viravam pro lado, olhavam o celular, ou seja, parece que o palanque ali ficou pequeno pra tanta gente”, disse o jornalista.

“Acho que se fizesse um pouco mais ordenado seria melhor, para um momento um pouco mais adiante, podia ser até em 30 dias, não ano que vem, mas para que o processo tivesse mais substância.”

O Liberdade de Opinião tem a participação de Sidney Rezende e Alexandre Garcia. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Sidney Rezende no quadro Liberdade de Opinião
Sidney Rezende no quadro Liberdade de Opinião
Foto: CNN Brasil (1.jul.2021)

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

Mais Recentes da CNN