Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    STF recebe pedido para investigar empresários que teriam defendido golpe

    Pedido se baseia em reportagem do portal Metrópoles a partir de mensagens trocadas em grupo no WhatsApp

    Daniel AdjutoLucas SchroederGabriela GhiraldelliDouglas Portoda CNN

    em São Paulo

    Quatro associações de juízes pediram, nesta quinta-feira (18), que o Supremo Tribunal Federal (STF) inclua um grupo de empresários nas investigações do inquérito das milícias digitais.

    O pedido se baseia em uma reportagem do portal Metrópoles. De acordo com o site, os empresários Luciano Hang (Lojas Havan), Afrânio Barreira (Coco Bambu), José Isaac Peres (Multiplan), José Koury (Barra World Shopping), Ivan Wrobel (W3 Engenharia) e Marco Aurélio Raymundo (Mormaii) defenderam um golpe de estado no Brasil caso o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) seja eleito em outubro.

    A CNN não conseguiu confirmar as informações. A reportagem teria tido acesso a mensagens trocadas entre eles em um grupo no WhatsApp.

    As associações fazem outros três pedidos ao Supremo: Apreensão dos celulares e quebra de sigilo do grupo; a verificação se tais empresários organizam eventos no próximo 7 de setembro, e que todos prestem depoimento.

    Em nota enviada à CNN (leia a íntegra abaixo), Afrânio Barreira afirmou que nunca se manifestou “a favor de qualquer conduta que não seja institucional e democrática”. Já Luciano Hang (leia a íntegra abaixo) disse que em nenhum momento falou sobre os Poderes, além de quase nunca se manifestar no grupo.

    Já Marco Aurélio Raymundo, também procurado pela CNN, diz que “lamenta profundamente e repudia a postura de profissionais que distorcem os fatos e não levam a notícia ao público com veracidade.”

    Leia a íntegra da resposta de Afrânio Barreira

    “Desconheço qual seria o teor desse “apoio” no grupo de Whatsapp “Empresários & Política”. Nunca me manifestei a favor de qualquer conduta que não seja institucional e democrática.

    Fico surpreso com a alegação de que eu seria um apoiador de qualquer tipo de rompimento com o processo democrático, pois isso não corresponde com o meu pensamento e posicionamento.

    A democracia é a chave para construção de um Brasil melhor, valorizo, e muito, a oportunidade de conseguir votar e escolher os representantes de nosso povo brasileiro, e todo cidadão deveria ter a consciência da importância deste momento. Valorizo e sempre defenderei um processo eleitoral honesto e justo.

    A autonomia e separação de cada um dos três poderes é essencial para construção de uma sociedade com liberdade.
    Apoio e defendo que as instituições que representam cada um dos poderes sejam fortes e íntegras, atuando sempre, cada uma delas, dentro das regras da nossa Constituição Federal de 88.

    Participo de vários grupos com colegas e amigos que tratam de diversos assuntos, e, as vezes, de política.
    Com frequência me manifesto com reações em “emoticon” a alguma mensagem, sem necessariamente estar endossando seu teor , ou ter lido todo o seu conteúdo.
    São centenas de grupos, milhares de mensagens e publicações para serem lidas e respondidas todos os dias.

    Dito isto, ratifico que meu apoio é pelo processo eleitoral que começou nesse mês de agosto.

    Por fim, informo que não tenho contato com integrantes do Governo Federal, ou mesmo com o presidente, para qualquer tipo de pauta política, não sou político, sou um empresário e cidadão.

    Leia a íntegra da resposta de Luciano Hang

    “Vejo que meu nome vende jornal e gera cliques. Me envolvem em toda polêmica possível, mesmo eu não tendo nada a ver com a história. Em momento nenhum falei sobre os Poderes. Inclusive, quase nunca me manifesto nesse grupo. Sou pela democracia, liberdade, ordem e progresso”.

    Leia a íntegra da resposta de Marco Aurélio Raymundo

    “O Morongo lamenta profundamente e repudia a postura de profissionais que distorcem os fatos e não levam a notícia ao público com veracidade. Por discordar completamente dessa condução de fatos, opta por aguardar a finalização da publicação da série de reportagens que foram anunciadas para tecer quaisquer considerações a respeito.”

    A CNN entrou em contato com os demais empresários citados e aguarda retorno.