Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Eleições 2022

    Tebet: Lula e Bolsonaro “alimentam ódio” e têm “denúncias graves de corrupção”

    Candidata do MDB ao Planalto disse esperar crescer nas pesquisas; “chegando ao terceiro lugar, a meta é dobrar a porcentagem em uma semana”, disse a senadora

    Simone Tebet (MDB), candidata à Presidência da República
    Simone Tebet (MDB), candidata à Presidência da República Divulgação/MDB

    Carolina Cerqueirada CNN em São Paulo

    A candidata à Presidência Simone Tebet (MDB) criticou nesta segunda-feira (29) o embate direto entre os candidatos Luiz Inácio Lula da Silva (PT) e Jair Bolsonaro (PL) durante debate ontem à noite.

    “Tivemos ali alguns embates importantes. Nós estamos falando de duas figuras que hoje se personalizam como se representassem o Brasil”, declarou Tebet em visita a um centro dedicado a crianças e adolescentes na região central de São Paulo.

    “Nós temos 215 milhões de brasileiros, 33 milhões passando fome, pessoas desalentadas, e eles ficam alimentando o ódio um contra o outro e um jogando para o outro a corrupção, quando a gente sabe que os dois têm denúncias graves de corrupção”, afirmou a emedebista sobre os líderes nas pesquisas eleitorais, de acordo com o Agregador CNN/Locomotiva.

    À CNN, a assessoria da campanha de Lula disse que não comentaria as declarações de Tebet. A CNN também procurou a assessoria de Jair Bolsonaro sobre as falas da emedebista e aguarda resposta.

    A candidata lamentou o embate e fez referência à fala de Bolsonaro contra ela e contra a jornalista Vera Magalhães, da TV Cultura.

    “Ali nós lamentavelmente tivemos que ir para um embate que eu já estou acostumada, porque, dentro da CPI, fui vítima de violência política mais de uma vez nesse governo, de um presidente que flerta com o autoritarismo, que fabrica fake news e não tem o menor respeito pelas mulheres brasileiras”, afirmou.

    Durante o debate, Bolsonaro disse que Tebet era “uma vergonha no Senado Federal” e que Vera era “uma vergonha para o jornalismo brasileiro”.

    “Quanto mais nos ameaçarem, quanto mais nos agredirem, quanto mais humilharem as mulheres brasileiras é minha responsabilidade enfrentar esse desafio”, afirmou a emedebista.

    A candidata disse também que está sendo vítima de ameaças, sem citar detalhes.

    “Não tenho medo de cara feia, não tenho medo de fake news, não tenho medo de ameaça, já estou recebendo críticas e ameaças em fake news nas minhas redes sociais, robô a gente apaga porque a gente não conversa com robô, numa democracia a gente conversa com pessoas e isso não vai me parar”, acrescentou.

    Ao ser questionada sobre o reflexo que o seu desempenho durante o debate deve gerar nas pesquisas eleitorais, Tebet disse que o resultado não deve ser imediato, mas que a expectativa é de chegar à terceira posição nas próximas semanas e garantir lugar no segundo turno.

    “Chegando ao terceiro lugar, a meta é dobrar a porcentagem em uma semana”, colocou.

    Debate

    As emissoras CNN e SBT, o jornal O Estado de S. Paulo, a revista Veja, o portal Terra e a rádio NovaBrasilFM formaram um pool para realizar o debate entre os candidatos à Presidência da República, que acontecerá no dia 24 de setembro.

    O debate será transmitido ao vivo pela CNN na TV e por nossas plataformas digitais.