Tebet receberá linhas mestras de plano de governo no RS em meio a impasse com PSDB

Senadora espera uma solução para disputas eleitorais entre o MDB e os tucanos até esta quinta (2) com o objetivo de ser chancelada logo como a pré-candidata da terceira via

Senadora Simone Tebet (MDB-MS) em Brasília
Senadora Simone Tebet (MDB-MS) em Brasília 08/12/2021REUTERS/Adriano Machado

Tainá FarfanLuciana Amaralda CNN

Em Brasília

Ouvir notícia

A pré-candidata à Presidência da República pelo MDB, senadora Simone Tebet (MS), viaja nesta quinta-feira (2) ao Rio Grande do Sul para receber as linhas mestras de seu futuro plano de governo em meio a impasses eleitorais e negociações intensas com o PSDB no estado, em Minas Gerais e em Pernambuco.

Tebet espera uma solução para disputas eleitorais entre o MDB e o PSDB até esta quinta com o objetivo de ser chancelada logo como a pré-candidata dos dois partidos e do Cidadania. No entanto, apesar do encontro entre os presidentes emedebista e tucano nesta quarta, em Brasília, até o momento, não há perspectiva de resolução pública.

PSDB e Cidadania tiveram a federação aprovada na semana passada pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). O último já aprovou apoio a Tebet, mas aguarda a ratificação dos tucanos, pois, com a federação, os dois partidos precisam seguir juntos nas alianças políticas.

Na avaliação de Tebet, apurou a CNN, a solução para garantir a chancela interna do PSDB ao seu nome passa necessariamente por acomodações políticas no Rio Grande do Sul. Além das cúpulas dos dois partidos, a pré-candidata também tem agido para convencer os emedebistas gaúchos a aceitar um acordo.

Ela tem conversado por telefone com colegas do partido para tentar convencer ala do MDB gaúcho a desistir da candidatura de Gabriel Souza (MDB) a governador e a apoiar Eduardo Leite (PSDB) à voltar ao cargo.

Leite se reuniu, de forma separada, nesta quarta em Brasília, para discutir a situação com o presidente do PSDB, Bruno Araújo, além de Simone Tebet e o senador Tasso Jereissati (PSDB-CE), cotado a vice na chapa da pré-candidata, apurou a reportagem.

A CNN apurou ainda que Eduardo Leite confirmou a interlocutores que deve aproveitar a presença de Tebet no Rio Grande do Sul para se reunir com ela.

A avaliação de fontes ouvidas pela CNN é de que ceder para o PSDB é “a saída para o MDB no Rio Grande do Sul” e que o próprio Alceu Moreira, deputado federal, presidente da Fundação Ulysses Guimarães e do MDB gaúcho, não quer a candidatura de Souza. Isso porque ele próprio teria sido preterido no lugar de Souza na disputa ao Palácio Piratini.

“O MDB nunca deixou de ter candidato no Rio Grande do Sul, mas o PSDB nunca deixou de ter candidato para presidente da República. Então, nesse momento, os dois têm que ceder”, disse uma fonte.

A avaliação do senador Tasso Jereissati é que as negociações no Sul estão avançadas, mas ainda é “fundamental” solucionar acordos em Pernambuco.

No estado nordestino, os tucanos apoiam Rachel Lyra (PSDB) para o governo pernambucano, mas os emedebistas locais fazem parte da base do governo de Pernambuco, do PSB.

Há ainda impasses no Mato Grosso do Sul, mas diante da virtual impossibilidade de solucionar a situação local, as cúpulas dos partidos também tentam um acordo em Minas Gerais, apoiando o ex-deputado Marcus Pestana (PSDB) ao governo estadual para, assim, agradar a ala tucana aliada ao deputado federal e cacique tucano Aécio Neves.

Uma reunião do PSDB para discutir o apoio a Tebet, inicialmente prevista para esta semana, já foi adiada para o dia 9. PSDB, MDB e Cidadania colocaram como prazo até quarta (8) para definir as alianças regionais.

Agenda para receber ‘linhas mestras’ de plano de governo

Tebet pousará em solo gaúcho nesta quinta e, à noite, participa de jantar de aniversário de Alceu Moreira. Além de tratar das disputas regionais, ela vai receber as “linhas mestras” do plano de governo coordenado pelo ex-governador Germano Rigotto.

Na sexta, o dia de Tebet vai ser dedicado a reuniões fechadas com a equipe que elabora o plano de governo. A previsão é que, mais tarde, ela receba o documento oficialmente e dê coletiva sobre as diretrizes estabelecidas.

Debate

CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

Mais Recentes da CNN