Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    Temos os votos necessários para privatizar a Sabesp, afirma relator de PL

    À CNN Rádio, o deputado Barros Munhoz (PSDB) afirmou que acredita que projeto de lei tenha entre 55 e 60 votos a favor; são necessários 48

    Sabesp
    Sabesp Pedro Godoy/ExLibris/PMI

    Amanda Garciada CNN

    O relator do projeto de privatização da Sabesp deputado Barros Munhoz (PSDB) acredita que há entre 55 e 60 votos a favor da proposta, que começará a ser discutida nesta segunda-feira (4) na Assembleia Legislativa de São Paulo.

    A empresa é responsável pelo fornecimento de água, coleta e tratamento de esgoto do estado de São Paulo.

    À CNN Rádio, o parlamentar afirmou que o PL foi “muito bem elaborado e estudado”, com “condução elogiada” do governador Tarcísio de Freitas.

    “Acredito que teremos até 60 votos, é essa a minha sensação”, disse.

    São necessários ao menos 48 dos 94 votos possíveis para aprovação.

    De acordo com Barros Munhoz, o projeto é “inovador”: “Desestatização não é só mudança de nome e a Sabesp não vai deixar de existir, é uma empresa importante para SP.”

    “O que vai haver é a melhoria nas ações, a companhia terá mais recursos para investir e o estado vai ter ação preferencial, a golden share, que funcionará como um poder de veto”, completou.

    Na avaliação do relator, não haverá aumento da tarifa uma vez que a desestatização aconteça.

    “A Sabesp está consolidada (…). Ainda há muita reclamação, mas hoje ela é infinitamente melhor do que já foi. Não queremos acabar com ela, mas, sim, agilizar o processo”, explicou.

    Veja mais: Tarcísio de Freitas conta com maioria para privatizar Sabesp

    O deputado reforçou que o serviço precisa ser mais rápido, com melhora dos prazos de atendimento, que é “mais lento do que o desejável.”

    Ao mesmo tempo, o relator defendeu que “sem dúvida alguma” quem deverá ser cobrado no caso de eventual piora do serviço será o governo estadual.

    *Com produção de Isabel Campos