Thiago Anastácio: É ‘bastante estranha’ união entre DEM e PSL

No quadro Liberdade de Opinião desta segunda-feira (27), o advogado criminalista avaliou a fusão dos partidos

Da CNN

Em São Paulo

Ouvir notícia

No quadro Liberdade de Opinião desta segunda-feira (27), o advogado criminalista Thiago Anastácio avaliou a fusão dos partidos DEM E PSL, que está em seus ajustes finais e vai formar a maior bancada da Câmara dos Deputados. O Democratas já disse “sim” à união, enquanto o PSL deve dar o aval nesta terça (28), em uma reunião marcada para discutir os detalhes do acordo.

Caso seja confirmado, o novo partido terá acesso a um fundo partidário de R$ 160 milhões. Os partidos estão se antecipando às mudanças previstas na reforma eleitoral aprovada pelo Congresso Nacional, que devem diminuir significativamente o número de partidos no Brasil.

“O que nós temos na verdade é a oportunidade dos dois partidos, que funcionam como base do presidente Jair Bolsonaro no Congresso Nacional, conseguirem não só mais verbas públicas para as próximas eleições, mas também para se fortalecer junto às suas bases, enquanto os anseios populares eram muito diferentes até pouco tempo e até as próprias posições dos dois partidos”, disse o advogado.

“Forma-se uma grande bancada, que me parece bastante estranha porque o DEM nada mais é que o antigo PFL de Antônio Carlos Magalhães, que era o grande partido nascido da Arena, sigla fantoche da ditadura militar. O PSL chega com força em 2018 com Jair Bolsonaro. Ou seja, o partido que era a base do governo ditatorial no Congresso se une a um antigo militar de uma carreira bem mediana para baixo para formar a maior bancada. (…) Eu gostaria de entender como essa nova política, que dizia que iria mudar as coisas, se une ao antigo PFL, com os antigos métodos. Me parece que é um novo velhaco.”

O Liberdade de Opinião teve a participação de Thiago Anastácio e Gisele Soares. O quadro vai ao ar diariamente na CNN.

Thiago Anastácio no quatro Liberdade de Opinião
Thiago Anastácio no quatro Liberdade de Opinião / CNN Brasil (27.set.2021)

As opiniões expressas nesta publicação não refletem, necessariamente, o posicionamento da CNN ou seus funcionários.

Mais Recentes da CNN