Prime Time

seg - sex

Apresentação

Ao vivo

A seguir

    “Trabalhadores não querem mais CLT”, diz Lula

    Declaração aconteceu durante reunião do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia no Palácio do Planalto

    Daniel Trevorda CNN

    Brasília

    O presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) afirmou, nesta quinta-feira (7), que os trabalhadores não querem mais ficar presos à Consolidação das Leis de Trabalho (CLT).

    “Eu fui na apresentação desse projeto de lei [regulamentação do trabalho por Aplicativos de Transporte] e fiquei boquiaberto porque parecia impossível a gente conseguir aquilo. Porque diziam: ‘Vocês querem atrelar os trabalhadores à CLT, os trabalhadores não querem mais CLT’. É verdade que os trabalhadores gostariam de ter a oportunidade de ter uma forma de trabalho que lhe desse garantia sem precisar estar na CLT”, disse.

    Lula ainda brincou que quando era metalúrgico e não existia aplicativos para motoristas — ele tinha um sonho de dirigir um táxi.

    “A gente, a vida inteira quando está numa fábrica, a gente sonha em ser autônomo. Agora as pessoas querem se virar por conta própria e não querem mais ficar presas à CLT”, comentou.

    As declarações foram dadas durante reunião do Conselho Nacional de Ciência e Tecnologia no Palácio do Planalto.

    Na reunião, especialistas abordaram temas como riscos associados às aplicações de Inteligência Artificial (IA), os impactos e oportunidades da IA no mundo do trabalho. A ministra da Ciência, Tecnologia e Inovação, Luciana Santos, também participou.

    Lula pediu que o conselho formule um projeto para apresentar ao Governo. Ele prometeu buscar investimentos para uma política concreta de inteligência artificial.
    Motoristas por app

    Na última segunda-feira (4), o governo encaminhou ao Congresso um projeto de regulamentação do trabalho por Aplicativos de Transporte de Pessoas. O texto propõe uma remuneração mínima e contribuição previdenciária para os motoristas de aplicativos, como Uber e 99.