União Brasil vê Moro como “coringa” e não descarta disputa ao Planalto, diz Bozzella

À CNN, vice-presidente da sigla em SP, Junior Bozzella, elogiou o gesto de "desprendimento" do ex-juiz ao abrir mão da pré-candidatura

Felipe Romeroda CNN

Ouvir notícia

O deputado federal e vice-presidente do partido União Brasil em São Paulo, Junior Bozzella, repercutiu a chegada de Sergio Moro ao partido em entrevista à CNN nesta sexta (1º).”É um ativo político muito importante, com 10% de intenção de votos para presidente e é um coringa que nos ajudará a construir a unidade no campo democrático, independentemente de cargo”, destacou.

Para Bozzella, o principal da filiação do ex-juiz foi “o gesto de desprendimento de abrir mão da pré-candidatura e se colocar como soldado do partido precisa ser seguido por outros líderes políticos do país”.

A chegada do ex-juiz e ex-ministro de Bolsonaro ao partido gerou críticas internas, com ACM Neto encabeçando a insatisfação pelo status de “pré-candidato ao Planalto” que Moro carregava até então.

Nos bastidores, Moro teria sido cobrado a abrir mão desse status para poder se filiar. “A resistência ao nome do Moro é natural, assim como é natural que ele se submeta ao crivo do partido”, disse o vice-presidente. Segundo Bozzella, o presidente do partido, Luciano Bivar está empenhado em “juntar as forças”.

“Então, quanto mais o candidato tiver o desprendimento em nome de um projeto do país, mais bem-vindo será ao nosso projeto, esse é o principal recado que a filiação do Moro trouxe.”

O vice-presidente do partido em São Paulo comentou também sobre o aparente racha dentro do PSDB e as movimentações de João Doria: “vejo como um movimento de defesa, esses desentendimentos internos do PSDB eu já previa e alertava inclusive o Rodrigo Garcia, acho que Doria fez o que precisava para se antecipar”, avaliou.

Bozzella falou ainda sobre a busca de aliados pelo partido em torno da “terceira via”: “todos os nomes que compõem o campo democrático são bem-vindos, mas precisa ser alguém que tenha voto e quanto mais tiver esse desprendimento que Moro teve, mais chances de estarmos juntos.”

“No futuro ficará claro que esse movimento foi a favor do Brasil, não só do partido”, concluiu.

A CNN realizará o primeiro debate presidencial de 2022. O confronto entre os candidatos será transmitido ao vivo em 6 de agosto, pela TV e por nossas plataformas digitais.

Mais Recentes da CNN